domingo, 31 de maio de 2009

Plano nacional de Leitura

Alexandre Honrado nasceu em Lisboa, em Novembro de 1960. Diplomado em Comunicação e Licenciado em História. Tem leccionado no ensino superior, dedicando-se actualmente à investigação na área dos conteúdos multimédia. Como guionista assinou centenas de horas de televisão, destacando a sua participação na Rua Sésamo. Tem também no mercado mais de 50 letras de canções, algumas das quais (muitas) para telenovelas e programas de televisão. É chefe de redacção de uma revista há 19 anos. É também empresário. Hoje, é considerado um autor de referência entre os mais jovens e a sua obra conta com cerca de 4 dezenas de títulos, publicados em Portugal e no estrangeiro. Alguns desses títulos são manuais escolares, embora a maior parte seja de ficção (também para adultos). Várias vezes premiado, destaca a distinção do Prémio de Literatura Infantil Comemorativo do 60º Aniversário da Maternidade Alfredo da Costa (por ter sido dado exactamente pela maternidade onde nasceu).

"A Revolta dos Alfinetes" foi a obra do Plano nacional de leitura, trabalhada na turma de 3º ano de Santo Amaro.

Estão alguns resumos da obra para abrir o apetite para a sua leitura. Vale a pena
...................................................................................................



A REVOLTA DOS ALFINETES

Era uma vez uma rainha que vivia num palácio. O rei chamava-se Dom Dedal I e a rainha chamava-se Dona Agulha.
Um dia Dona Agulha quis pintar-se de doirado.
O povo tinha de pagar impostos.
Naquele reino vivia um Alfinete de Gravata e uma Tesoura de pernas esguias que não gostaram da ideia e por isso conspiraram uma revolução contra os monarcas.
Dona Agulha, como não sabia da revolução, chorava porque queria ser doirada. O rei teve de pedir aos sábios para fazerem tinta doirada e não ser preciso pagar impostos.
Os sábios pensaram e disseram:
“- Para tinta dourada teres, uma gota do mar irás buscar, junta um raiozinho de sol “. Depois disseram as palavras mágicas e apareceu tinta doirada
A rainha tomou logo um banho na tinta doirada..
Não houve revolução porque os reis fizeram uma festa e decidiram trabalhar para ganhar dinheiro. Foram morar para um apartamento todo envidraçado

( Guilherme 3º ano Santo Amaro)

sábado, 30 de maio de 2009




O QUE ERA O PASSE

O PASSE foi um programa que nos ajudou a fazer escolhas alimentares.
Neste tempo todo ensinaram-nos como nos alimentar de uma forma saudável.
Aprendemos a escolher os alimentos; a trocar alimentos por outros do mesmo valor alimentar; que por vezes um alimento mais pequeno pode dar mais energia que um maior; que os rótulos dos alimentos devem ser lidos porque nos dão informações úteis; devemos evitar as gorduras e os doces. Aprendemos ainda que a água é a melhor bebida.
O Passe ensinou-nos a ter uma vida saudável.
Nós gostamos muito das sessões porque fizemos muitos jogos divertidos e aprendemos muitas regras e comportamentos que devemos usar para ter uma vida mais saudável.

Grupo: Sara, Paulo, Elian, Diogo Nuno, Natacha e Ema



O QUE GANHEI COM O PASSE

No Passe aprendemos muita coisa.
Aprendemos a provar novos alimentos para aprendermos a gostar. Alguns meninos dizem que não gostam de uma coisa mas não provaram e por isso não sabem se gostam ou não.
Devemos comer sopa duas vezes por dia porque a sopa leva legumes e duas a quatro peças de fruta. O grupo dos legumes e frutos é o maior grupo da roda.
Devemos comer carne ou peixe mas do tamanho da palma da nossa mão porque a carne e o peixe ajudam a formar o nosso corpo.
Também devemos comer as leguminosas duas vezes por dia .A fatia das leguminosas também é muito grande.
Aprendemos ainda que há alimentos que dão mais energia do que outros. No Inverno por exemplo é boa altura para comermos alimentos com mais energia porque está mais frio e o nosso corpo precisa de mais energia para ficar quente.
A àgua deve ser a nossa bebida preferida e nós devemos beber muita água. De vez em quando podemos beber refrigerantes mas poucas vezes.
Com o PASSE adquirimos muitos conhecimentos. Foi uma pena ter acabado.

Grupo: Inês, Soraia, Diogo André, Guilherme e Luís

sexta-feira, 29 de maio de 2009

CONFERÊNCIA NO ÂMBITO DO PELT




Realizou-se ontem, dia 28 de Maio, no Auditório da Câmara Municipal de Chaves, uma Conferência sob o tema: "Programa de Prevenção e Tratamento do Tabagismo", último ano do PELT (Programa Escolas Livres de Tabaco).
Como oradoras estiveram presentes:
* Drª Rosa Rodrigues Crespo - Médica da Delegação de Saúde de Chaves;
* Drª Rosa Branca Mansilha - Médica do Departamento de Saúde Pública da ARS do Norte;
* Drª Paula Marianela Cleto - Psicóloga na Escola Secundária Infante D. Henrique no Porto;
* Drª Ana Seixas Freire - Psicóloga do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro.
Como moderadora esteve a Drª Fátima Afonso - Psicóloga da UTAD - Pólo de Chaves.

Estiveram presentes neste evento o Sr. Presidente da Câmara Municipal de Chaves (Dr. João Baptista); Docentes da Utad, Pólo de Chaves; Alunos do Curso Superior de Animador Sócio-Cultural da UTAD, Pólo de Chaves; as Associações de Pais das Escolas Secundárias Dr. António Granjo e Dr. Jùlio Martins e do Agrupamento Vertical Dr. Francisco Gonçalves Carneiro; Psicóloga da Escola Secundária Fernão de Magalhães; Psicóloga do Centro Cultural de Chaves e público em geral.

A Drª Rosa Crespo referiu o que foi feito no concelho em relação ao Programa PELT.

A Dr.ª Rosa Mansilha referiu em termos estatísticos os números de mortes devido ao tabaco; que o Programa de Prevenção e Tratamento do tabagismo se encontra no site da OMS (relatório mpower) e explanou as fases do fumador:
1. Preparação;
2. Iniciação;
3. Habituação;
4. Manutenção;
5. Dependência.
Por último, referiu os objectivos da prevenção, motivação e os benefícios na cessação tabágica.

A Dr.ª Rosa Cleto interviu falando do tema: "Problemáticas Adolescentes em contexto escolar", referindo que, «Parte-se da concepção de que a adolescência é um período que envolve múltiplas transições e mudanças significativas que podem configurar situações problemáticas de menor ou maior risco, quer devido aos seu carácter de imprevisibilidade quer a um número acrescido de exigências diversificadas que, actualmente, se impõe aos jovens. Analisa-se o papel que elementos significativos dos adolescentes, nomeadamente pais, professores e psicólogos, podem ter na prevenção, detecção e intervenção, em situações com outros contextos, particularmente a família, bem como outras instituições exteriores à escola. Com efeito, a escola é um dos espaços de socialização mais importantes, no qual os alunos passam grande parte do seu quotidiano em interacção com os diversos elementos que a constituem e em particular com o grupo de pares, cujo papel é tão importante nesta fase da vida, enquanto elemento que contribui em grande medida para a estruturação da personalidade. Sugerem-se propostas de intervenção, acentuando-se a importância da mobilização por parte dos jovens de recursos pessoais e sociais, mas também da promoção da qualidade dos contextos de vida em que estes se movem, particularmente a escola».
Referiu ainda que os Directores de Turma são importantes na ligação entre os pais/encarregados de educação e os docentes do Conselho de Turma e a escola em si.
Em conclusão proferiu que "a maior parte dos alunos vão ao gabinete da psicologia por iniciativa própria".

A última oradora, a Dr. Ana Freire, explanou o tema: "O papel do Professor na Saúde Mental do Adolescente" - a adolescência enquanto estádio de desenvolvimento.
Resumidamente, referiu que:
«1. A adolescência como estádio desenvolvimental caracterizado pela resolução de tarefas específicas;
2. O papel do professor na promoção de uma vivência saudável da adolescência;
3. Identificação e gestão de casos de risco;
4. A importância e centralidade do professor na saúde mental dos alunos - os casos específicos da depressão/tentativa de suicídio e das perturbações do comportamento alimentar.»
É de salientar ainda uma das questões: "O que fazer perante um adolescente em risco?
* Sinalizar e encaminhar;
* Facilitar o desenvolvimento de competências sociais;
* Aumento e contingência dos reforços positivos;
* Evidenciar o seu papel proactivo.
Ainda salientou os casos de depressão (falta de sono; auto-estima; perturbações do apetite...); as tentativas de suicídio; os indicadores de risco para o suícidio; a prevenção do suicídio; as perturbações co comportamento alimentar (Anorexia e Bulimia) e as causas e os riscos da anorexia e bulimia.

No final houve um tempo para debate com a intervenção de algumas das pessoas presentes na assembleia, finalizando-se com os agradecimentos aos presentes, aos colaboradores e aos dinamizadores desta conferência.
BEM-HAJAM por mais esta iniciativa.

CAMPANHA DE ANGARIAÇÃO DE DADORES DE MEDULA ÓSSEA


Dia 6 de Junho, na Escola Secundária Fernão de Magalhães, em Chaves

A Escola Secundária Fernão de Magalhães, em colaboração com o centro de Histocompatibilidade do Norte, vai realizar, no dia 6 de Junho, das 10 horas às 16 horas, uma acção de angariação de dadores de medula óssea, nas instalações da escola.
Esta iniciativa partiu dos formandos dos cursos E.F.A. (turmas 1, 2, 3 e 4), no âmbito da área de competência de Cidadania e Profissionalidade.” É um dever de cidadania ser-se dador de sangue porque, desta forma, podemos salvar muitas vidas. Esperamos, sinceramente, mobilizar todos aqueles que conhecemos a deslocar-se à escola nesse dia”, afirmam.

O sucesso desta iniciativa depende da mobilização de todos, pelo que se apela à participação da comunidade escolar e extra-escolar a estar presente.
A acção consiste no preenchimento de um formulário e na recolha de uma amostra sanguínea. Os dadores deverão reunir as seguintes condições: ser saudáveis; ter entre 18 e 45 anos de idade; nunca terem recebido transfusão de sangue e ter peso mínimo de 50 kg.
Para mais informações ou esclarecimentos contacte o Centro de Histocompatibilidade do Norte, ou visite o site: 
www.chnorte.min-saude.pt

Formandos e Formadores das Turmas 1, 2, 3 e 4

Atentamente,

A prof.ª Cynthia Coelho

(Docente da Escola Secundária Fernão Magalhães)

in: http://adsl.esb3-fernaomagalhaes.edu.pt/site/index.php?option=com_content&task=view&id=1038&Itemid=311


Leucoencefalopatia Calcificações e Quistos Cerebrais /Sindrome de Coats

 

  

Meus queridos amigos……. 
  
Criámos este site porque precisamos da ajuda de todos vós… 
Temos um filho de 14 meses, o Dinis, que nasceu a 20-02-2008, com graves lesões cerebrais (que ocorreram ainda durante a gravidez) cuja causa é ainda desconhecida. 
O Dinis tem uma doença neurológica grave de que padecem apenas 20 pessoas em todo o mundo (nenhum caso em Portugal). 
Após termos levado o nosso filho à consulta de neuropediatria no Hospital Dona Estefânia e após dezenas de exames, foi-lhe diagnosticada uma doença raríssima que está ainda em a ser estudada, cujo nome é designado por“leucoencefalopatia com calcificações e quistos cerebrais” e que está a associado a um síndrome de "COATS". 
Da parte neurológica o Dinis poderá vir a ter uma série de complicações a nível motor e até a nível cognitivo, mas este departamento é ainda muito reservado pois a doença era até então completamente desconhecida pelos nossos especialistas em Portugal. 
A doença de “COATS” é também conhecida como Telangiectasia Retiniana e Retinite Exudativa. Sabe-se que não é uma doença hereditária, porém a sua origem assim como a leucoencefalopatia ainda não foi completamente elucidada pela ciência. É uma condição em que há desenvolvimento anormal dos vasos que irrigam a retina.  Os vasos ficam dilatados, e ocorre extravasamento do soro sanguíneo para a porção posterior do olho. A retina fica então edemaciada, podendo ocorrer o seu descolamento total ou parcial, o que é o caso do olho direito do Dinis. 
Pode ter apresentação também como múltiplos aneurismas dos vasos retinianos, que causam degeneração dessa estrutura ocular. É uma enfermidade progressiva, ou seja, desenvolve-se lentamente. Portanto, o tratamento precoce é extremamente importante para que seja possível salvar a visão do nosso filho. Se a doença avançar muito, ocorre perda total da visão. Em estágio final, a enucleação (retirada do olho) é um potencial desfecho. O Dinis foi observado no Hospital Dona Estefânia pelo Dr. José Carlos Mesquita que nos encaminhou para um especialista que observou o meu filho em Badajoz a 27-04-2009.

Esse especialista, o Catedrático Dr. José Fernandez-Vigo reencaminhou o Dinis para um especialista em Barcelona, o Dr. Corcóstegui, por ter entendido que se tratava de um caso tão especial e minucioso que merecia os cuidados daquele especialista em problemas da retina.

O Dinis foi submetido a uma 1ª cirurgia no passado dia 30/04/2009 onde iremos regressar a 25/05/2009 para observarmos os resultados da 1ª cirurgia, saber se o Dinis terá esperança para o olho Direito e saber se será submetido a mais cirurgias...

A Dinis tem descolamento de retina do olho Direito bem como uma prega que não poderá ser removida nem tratada.

O motivo pelo qual recorrermos a médicos estrangeiros foi derivado à grande tecnologia associada a excelentes especialistas e técnicas que são utilizadas nestes casos e por acreditarmos numa maior rapidez em termos de tratamento pois em Portugal seria um processo muito lento e penoso e quem sabe irreversível para o Dinis.

Começámos por tratar o problema dos olhos e de seguida vamos focalizar-nos no tratamento e na prevenção relativamente ao seu problema neurológico"leucoencefalopatia quistos e calcificações cerebrais".

Em Portugal este problema é completamente desconhecido pelos nossos especialistas e nós, enquanto pais, gostaríamos de levar o nosso filho a um especialista, clínica, onde quer que seja para que nos ensinem a viver com este problema pois receamos que o tempo passe em demasia e que depois nada possamos fazer por ser tarde demais.

Queremos certificar-nos que esta doença rara, que tanto quanto sabemos afecta 20 pessoas em todo o mundo, tem algum tipo de tratamento preventivo para que não se venha a manifestar no Dinis mais tarde, ou seja, sabemos que o Dinis teve lesões cerebrais ainda durante a sua gestação, e que lhe causaram esta patologia, mas na realidade não sabemos o que esperar num futuro em termos motores e cognitivos.

É uma tortura muito grande pois temos um problema sério em mãos do qual não temos conhecimento de cariz médico ou artigos que nos ajudem a compreender o que está e o que virá a acontecer e em Portugal não existe nenhum caso para comparar ou que nos diga qual o rumo que a patologia do Dinis vai seguir no futuro.

O Dr. José Pedro Vieira, neuropediatra do Dinis, um especialista incansável, está neste momento a reunir toda a informação médica através de artigos estrangeiros para poder estudar o caso do Dinis, caso que nunca vira antes, falou-nos dum caso semelhante em Londres, mas nada mais. Falou-nos também numa possível ida ao Hospital Pediátrico de Philadelphia pois é onde crê que haverá meios para tratarmos o Dinis de uma forma preventiva uma vez que este hospital é o melhor de todos os Estados Unidos da América.

Gostaríamos de ir até onde fosse possível para que o nosso filho seja observado por um especialista conhecedor do problema e que nos explique qual a melhor forma de evitarmos o desenvolvimento negativo da doença para que o Dinis venha a ser uma criança saudável e feliz.

Devemos isso ao Dinis....ele é uma criança de 14 meses e merece tudo de bom que a vida tem para lhe dar e se isso estiver ao nosso alcance.... só uma grande força nos impedirá.

A ida do Dinis pela primeira vez foi possível a 29-04-2009;

Uma segunda viagem a Barcelona repetiu-se a 25-05-2009.

A Terceira Viagem está agendada para dia 07-07-2009.

A ida do Dinis a Philadelphia está pendente da realização de uma série de exames aqui em Portugal, que servirão de auxilio ao diagnóstico e possível tratamento.

O Estado Português comparticipa na totalidade os tratamentos, mas não comparticipa investigação… o Dinis é portador de uma doença rara que se não for investigada nunca será alvo de tratamento.

É contraditório mas é o País com que contamos.

Assim, a Ida do Dinis a Philadelphia só será possível com a ajuda de todos, pelo que vos apelamos para que nos ajudem a proporcionar ao Dinis um futuro mais sorridente, divulgando entre conhecidos e amigos a existência deste menino e do seu site:

N.º de Conta: 36471370.10.001

NIB: 0079 0000 3647 1370 10 146

IBAN: PT50007900003647137010146

Despacho do SEE sobre Matrículas

A organização e o funcionamento adequados dos agrupamentos de escolas e escolas não agrupadas pressupõem a definição de um conjunto de regras relativas a matrículas e renovação de matrículas, a distribuição das crianças e alunos pelos vários estabelecimentos, a constituição de turmas e ao regime de funcionamento. ... 

Veja mais aqui

Biblioteca multimédia online da Europa

A biblioteca multimédia online da Europa, "Europeana", está já acessível ao público, que através da Internet poderá aceder a mais de dois milhões de obras dos 27 Estados-membros da União Europeia. Esta biblioteca virtual conta com livros, mapas, gravações, fotografias, documentos de arquivo, pinturas e filmes do acervo das bibliotecas nacionais e instituições culturais dos 27 Estados-Membros da UE. 

Acessível, em todas as línguas da UE, através do endereço 
http://www.europeana.eu/portal/, a biblioteca multimédia europeia conta com material fornecido por mais de 1000 organizações culturais de toda a Europa, incluindo Museus, como o Louvre de Paris, que forneceram digitalizações de quadros e objectos das suas colecções. 

Segundo a Comissão Europeia, este é "apenas o começo", pois a ideia é expandir a biblioteca, envolvendo também o sector privado, e o objectivo é que em 2010 a Europeana dê acesso a pelo menos dez milhões de obras "representativas da riqueza da diversidade cultural da Europa e terá zonas interactivas, nomeadamente para comunidades com interesses especiais".

Tecnologias electrónicas na campanha para as Eleições Europeias de 2009
Enviado por Quarta, Maio 27 @ 10:54:57 CEST por Amaral

Internet
A vitória do novo Presidente dos EUA, Barack Obama, deveu-se, em parte, à utilização de campanhas electrónicas em plataformas como o Facebook e o You Tube. Irão os deputados ao Parlamento Europeu recorrer a novas formas de campanha para as eleições europeias de Junho de 2009?

Que canais em linha utilizam para comunicar com os cidadãos? Alguns deputados com experiência em tecnologias electrónicas falam aqui do que já mudou e do que deverá mudar no futuro das campanhas eleitorais. 

Deputados em linha

Alguns eurodeputados têm blogues, sítios, contas no Facebook e vídeos, que consideram extremamente úteis para se manterem em contacto com os cidadãos. 

"O Facebook é uma forma fantástica de me manter em contacto com os amigos e apoiantes. Os constituintes utilizam-no para chamarem a minha atenção para problemas locais e os outros políticos utilizam-no para troca de ideias e expansão da sua rede de conhecimentos", Graham Watson, eurodeputado britânico (Grupo da Aliança dos Democratas e Liberais pela Europa). 

"Invisto bastante na comunicação através do Facebook e da minha página na Internet, e tenciono intensificar bastante esse investimento ao longo dos próximos meses", Dan Jørgensen, eurodeputado dinamarquês (Grupo Socialista). 

"Na nossa qualidade de deputados ao Parlamento Europeu, as tecnologias electrónicas são um instrumento importante para pesquisar e divulgar informação. Os meus eleitores esperam que eu os informe diariamente sobre aquilo que faço. Se os meus eleitores não percebem aquilo que faço, é porque não estou a comunicar como devo", Christofer Fjellner, eurodeputado sueco (Grupo do Partido Popular Europeu e dos Democratas Europeus). 

"Uma vez que os eurodeputados estão mais distantes dos cidadãos do que os deputados nacionais e os políticos locais, é fantástico dispor de meios alternativos aos meios tradicionais, para que os cidadãos possam conhecer-me melhor", Richard Corbett, eurodeputado britânico (Grupo Socialista). 

A importância das novas tecnologias

"O recurso às tecnologias electrónicas deverá aumentar nas próximas campanhas eleitorais regionais, nacionais e europeias, uma vez que nos permite comunicar de uma forma mais acessível e informal. Além de nos permitir retirar o intermediário do processo de comunicação", Graham Watson. 

"Penso que não devemos esperar o mesmo impacto que a campanha dos EUA teve, mas as tecnologias electrónicas deverão desempenhar um papel cada vez mais importante do que nunca nas próximas eleições para o Parlamento Europeu", Dan Jørgensen. 

"As novas tecnologias permitem aumentar a participação e os debates", Monica Frassoni, eurodeputada italiana (Grupo dos Verdes/Aliança Livre Europeia). 

"Vale a pena tentar chegar a novos grupos de eleitores através de novas formas de comunicação", Dan Jørgensen. 


Parlamento Europeu - Informação - 2009

quinta-feira, 28 de maio de 2009

PROGRAMA PASSE




CORAÇÕES VERMELHOS

Hoje, dia 26 de Maio, estiveram no pavilhão da nossa escola enfermeiras e deram aos alunos corações feitos de cartolina vermelha. Nos corações estavam frases escritas com regras para manter um coração saudável.
As enfermeiras chamaram alguns meninos ao palco para lerem as mensagens que estavam escritas nos seus corações.
Depois elas ensinaram-nos a fazer alguns exercícios para ficarmos saudáveis e divertidos.

( Natacha 3º ano Santo Amaro)
 
 
 
   
                                           CONFAP na RTP2
 
A CONFAP vai estar presente no programa Sociedade Civil (RTP2) de 28 de Maio, com início às 14.00 horas, onde vai ser abordado o tema:

 
                   Mudanças na educação

Convidados: Mário Nogueira, Secretário-geral da Fenprof;
 Albino Almeida, Presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais;
Ponces Carvalho, Director Escola Superior de Educação João de Deus, ESEJD; 
Quarto convidado a confirmar.

Notas: 
Em  www.sociedade-civil.blogspot.com poderão ver os comentários ao programa. Todos os dias é colocada online a sinopse do tema do dia para discussão. Se quiser participar a posteriori, basta escrever o seu comentário e quando assinar, escolher a opção other e colocar o seu nome. 

O programa emitido estará disponível logo depois da emissão emhttp://multimedia.rtp.pt.
 Conferência sobre o Ensino
           da Matemática

 
A Direcção-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular (DGIDC) está a organizar uma conferência sobre o Ensino da Matemática, que decorre hoje no Centro Cultural de Belém, a partir das 09:30 horas.
 
Esta conferência tem como objectivo principal a reflexão alargada, pluridisciplinar e transversal do Plano de Acção para a Matemática, pelo que terá como temas as diferentes medidas deste plano concretizadas nos últimos três anos. 
 
A conferência contará com a participação de professores de Matemática, especialistas nacionais e estrangeiros nas áreas da Matemática e Educação Matemática, que darão o seu contributo para a reflexão sobre as medidas em curso e os desafios que se colocam à continuidade do trabalho para a melhoria das aprendizagens dos alunos.
 
 
Notas
 
 
2 – Posters apresentados na conferência realizada em Maio de 2008, emhttp://sitio.dgidc.min-edu.pt/PressReleases/Paginas/GaleriadePosters.aspx
Desafios da Adolescência para os Pais
 
 
Realiza-se, no dia 29 de Maio de 2009, às 21:00h, na Escola Secundária Padre Benjamim Salgado, em Joane, Famalicão, organizado pela Associação de Pais e Encarregados de Educação desta escola, um colóquio o seguinte tema: “Desafios da Adolescência para os pais e a importância da sua colaboração efectiva e consciente na definição de um projecto pessoal e profissional por parte do jovem”, tendo em conta que a adolescência é um conceito multidimensional e que acarreta bastantes desafios. Para debater esta problemática estarão presentes no debate qualificados especialistas na matéria.
 “Bullying/Comportamentos desviantes” 


As Associações de Pais do Concelho e o Município de Cantanhede, realizam a 2ª palestra do III Ciclo de Palestras “ Limites e Atitudes…”, no dia 29 de Maio, pelas 21h00, no Auditório do Centro Paroquial de São Pedro em Cantanhede. O programa é o seguinte:Momento Musical, pela Academia de Música de Cantanhede; palestra sobre “Bullying/Comportamentos desviantes”, por Carlos Carona,psicólogo da Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral, e Sara Pedroso, pedopsiquiatra do Hospital Pediátrico de Coimbra. 
  
Nos tempos actuais, um dos temas que vem despertando o interesse dos professores e professores, em todo o mundo, é sem dúvida o dobullying escolar. O termo utilizado não tem propriamente tradução para a nossa língua mas, define-se como um conjunto de atitudes agressivas, intencionais e repetitivas, adoptado por um ou mais alunos contra outro(s), causando-lhes angústia, dor e sofrimento. 

Normalmente manifestam-se por insultos, intimidações, apelidos cruéis e constrangedores, acusações injustas, actuação de grupos que hostilizam, ridicularizam e tornam um martírio a vida de outros alunos. Muitos destes sentem-se excluídos e sofrem danos físicos, psíquicos, morais e materiais provocados pelo comportamento bullying. 

Nós, pais sentimos a urgência, o desafio e a responsabilidade de estar atentos a estas novas  manifestações de violência e fomentarmos um caminho para uma relação de respeito entre todos. 


“Segurança na Internet”
 
A Associação de Pais do Agrupamento de Escolas de São Brás de Alportel realiza o XIII ENCONTRO DE PAIS, no próximo Sábado dia 30 MAIO, pelas 15h00, no Auditório da Escola Poeta Bernardo de Passos, em S. Brás de Alportel.
 
Neste Encontro, aberto aos encarregados de educação de todas as escolas, vai ser tratado um tema actual deste séc.XXI  - a “Segurança na Internet para Crianças e Jovens”. 
 
 
Em anexo folheto com o programa (clique)
Jogos de vídeo: 'garantir a adequada 
                    protecção dos menores'
 
Parlamento Europeu - 25-02-2009 
 
Apesar das reservas existentes em relação aos jogos de vídeo, a sua utilização 'pode ter efeitos benéficos junto dos jovens', defendeu o eurodeputado neerlandês Toine Manders, durante uma reunião da comissão do Mercado Interno e da Protecção dos Consumidores. De acordo com um estudo recente desta comissão parlamentar, os jogos de vídeo podem estimular a percepção visual e a memória, e encorajar as crianças a adoptarem atitudes mais criativas e cooperantes. Dê-nos a sua opinião!

Existem diversos estudos que demonstram a existência de uma relação positiva entre os jogos informáticos e o estímulo de crianças autistas, a recuperação de danos cerebrais e problemas musculares.
 
'Na maioria dos casos os jogos de vídeo não são perigosos e podem contribuir para o desenvolvimento de competências importantes', sublinhou Toine Manders (Grupo da Aliança dos Democratas e Liberais pela Europa), autor de um projecto de relatório sobre a protecção dos consumidores, em especial dos menores, no que respeita à utilização de jogos de vídeo. 
 
Alguns dados
·                   Em 2008, o volume de vendas da indústria de jogos ultrapassou 7 mil milhões de euros
·                   Idade média dos jogadores na União Europeia: 33 anos
·                   80% dos utilizadores da União Europeia jogam por 'divertimento'

De acordo com Manders 'os jogos de vídeo podem estimular a aprendizagem de factos e competências, como a reflexão estratégica, a criatividade, a cooperação e o pensamento inovador, que são qualidades importantes na sociedade da informação'. Além disso, lê-se no texto, 'as recentes tendências acentuam a importância de garantir a adequada protecção dos menores, nomeadamente impedindo um possível acesso a conteúdos nocivos'.
 
Tendo em vista a adequada protecção dos menores de conteúdos nocivos, Manders sugere a concepção de um 'botão vermelho' que possa ser integrado em consolas (móveis) ou em aparelhos de jogo e computadores para desactivar determinado jogo ou controlar o acesso a um jogo ou a partes dum jogo durante certas horas.


O papel do sistema PEGI 

O sistema de auto-regulação PEGI – Pan European Games Information – é um sistema de classificação etária desenvolvido pela indústria desde 2003, com o apoio da União Europeia. No entanto, o sistema PEGI não é obrigatório e muitos dos jogos disponíveis no mercado não obtiveram qualquer classificação.
 
O sistema PEGI online, co-financiado pelo programa da União Europeia Safer Internet, tem como objectivo proporcionar aos jovens na Europa protecção acrescida contra conteúdos inapropriados de jogos em linha e educar os pais a garantir que os filhos possam jogá-los em segurança.
 
'Considero o sistema PEGI uma solução excelente, que deve passar a ser a norma, não apenas na Europa como também no resto do mundo. Verifico que muitos Estados-Membros da União Europeia dispõem dos seus próprios sistemas de classificação, o que acaba por confundir os consumidores', acrescentou Manders.
 
Por outro lado, afirmou o eurodeputado neerlandês, 'os retalhistas devem assumir a responsabilidade de não vender a menores jogos de vídeo que tenham sido classificados como não aconselháveis a menores de 18 anos'.
 

 
Para saber mais :
·                     Ficha pessoal de Toine Manders
·                     Comissão do Mercado Interno e da Protecção dos Consumidores
·                     Dê-nos a sua opinião!
 Conferência O Estado e a 
      Educação (1759-2009)


 
A Secretaria-Geral do Ministério da Educação está a organizar a conferência internacional O Estado e a Educação (1759-2009), que decorrerá na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, nos próximos dias 04 e 05 de Junho de 2009.
 
As inscrições, que são gratuitas mas obrigatórias, encerram no próximo dia 01 de Junho.
 
Entre os conferencistas estarão António Nóvoa (Universidade de Lisboa), António Dias Figueiredo (Universidade de Coimbra), António Pinto Ribeiro (Fundação Calouste Gulbenkian), João Barroso (Universidade de Lisboa), Marcelo Caruso (Universidade Humboldt, Berlim), Martin Lawn (Universidade de Edimburgo), Sérgio Niza (Instituto Superior de Psicologia Aplicada), Thomas S. Popkewitz (Universidade de Wisconsin-Madison, EUA) e os arquitectos Vítor Mestre e Sofia Aleixo.
 
Já as mesas-redondas contarão com Ana Luísa Paz (Universidade de Lisboa), António Candeias (Universidade Nova de Lisboa), António Carlos Correia (Universidade de Lisboa), Áurea Adão (Universidade Lusófona), Carlos Manique (Universidade de Lisboa), Domingos Fernandes (Universidade de Lisboa), Joaquim Pintassilgo (Universidade de Lisboa), Jorge Ramos do Ó (Universidade de Lisboa), Justino Magalhães (Universidade de Lisboa), Luís Alberto Marques Alves (Universidade do Porto), Luís Grosso Correia (Universidade do Porto) e Maria João Mogarro, da Escola Superior de Educação de Portalegre.
 
Notas
 
1 – Programa, em http://www.sg.min-edu.pt/250/programa_2.pdf.
 
2 – Formulário de inscrição, em http://www.sg.min-edu.pt/250/pre_inscricao1.htm
 
  

FORMAÇÃO

Ao Exm.º(ª) Sr.(a) Presidente

O Centro de Formação Contínua da Casa do Professor vem, através de sua excelência, divulgar com todo o apreço o seu plano de formação contínua. Assim sendo, gostaríamos que divulgasse o nosso plano junto de toda a sua comunidade educativa a fim de a informar sobre as nossas ofertas formativas e, também, de despertar o interesse pelo nosso centro de formação.

Grato com a sua colaboração.

 

Atenciosamente,

A Direcção do Centro de Formação Contínua

PLANO 2009

Cursos de Formação Promovidos pelo Centro de Formação da Casa do Professor

Cursos de Formação Área Específica 

Cod.

Designação

Modalidade

 
Horas

Presenciais

Créd

Destinatários

Formadores

C1Construir reciclando materiaisOficina50hAté 4Grupos 100, 110, 240,

530 e 600

M.ª José Machado
C2Criar brincando - módulo IOficina25hAté 2Grupos 100, 110, 240 e 530Orlando Correia

SeverinoFernandes

 
C3
O cartaz através do desenho vectorial - como instrumento de comuni. na escolaOficina37h30Até 3Prof. 5º Grupo do 2º CEB, Prof. EVT do 3º CEB e SecundárioRosália Dias
C4Transformações através de decoupage Módulo IOficina25hAté 2Grupos 240, 530 e 600Mª Adélia Silva
C5A Técnica e a arte da decoração de cerâmicaOficina37h30Até 3Grupos 240 e 530Mª Adélia Silva
C6Área tecnológica integrada no curso tecnológico de multimédia - design e animação multimédiaCurso30h1,2Grupos 240, 530 e 600João Andrade

Rui Martins

C7Os violinos tocam de madrugada – oficina de poesiaOficina25hAté 2Grupos 100, 110, 210, 220,

230, 300

Gracinda Castanheira
 
C8
Orientações para a leccionação da nova Terminologia Linguística para os Ensinos Básico e Secundário – TLEBSOficina37h30Até 3Prof. 1º CEB, Prof. dos 1º, 2º e 3º Grupos do 2º CEB, Prof. dos Grupos 8º A e 8º B do

3º Ciclo e Sec.

Joaquim Cracel
C9O ensino-aprendizagem da comunicação oral na aula de língua portuguesaOficina25hAté 2Prof. Português Ensino Básico e SecundárioHilário Sousa
C10Escreve-se com o coração, reescreve-se com a razãoOficina

Ens. Distância

25hAté 2Grupos 200, 210, 220, 300,

310 e 320

Vera Magalhães
C11O Humor nos media e o ensino da língua portuguesaOficina25hAté 2Grupos 200, 210, 220, 300 e 320Luís Miguel Pereira
C12Ler e escrever na era 2.0 – contributos das ferramentas digitaisOficina25hAté 2Grupos 100, 110 e 300Ádila Faria

Paulo Faria

C13Ensinar língua portuguesa no 1.º e no 2.º CEB. com recurso às TIC: utilização da aplicação multimédia Histórias com Árvore, Gato, Sol e Lua.Oficina25hAté 2 
Grupos 110, 200, 210,

220 e 300

Rita Peixoto
C14Os Lusíadas e a mensagem: uma abordagem inter textualCurso37h301,5Grupo 300Isabel Fidalgo
C15Ler e escrever com as TIC: novos horizontes para o 1.º Ciclo do E.B.Oficina25hAté 2Grupos 100 e 110Luciana Ferreira
C16Sentir o Livro: promoção da leitura e da escrita na biblioteca dando corpo ao PNLOficina25hAté 2 
Grupos 100 e 110
 
Luciana Ferreira
C17Inglês no Jardim-de-infância e no 1.º Ciclo do E.B. – do porquê ao comoOficina25hAté 2Grupos 100, 110, 220 e 330Rita Peixoto
C18Um currículo para o desenvolvimento das competências na área disciplinar de Inglês ou uma pedagogia p/ a autonomiaCírculo Estudos25hAté 1,5 
Grupos 100, 110, 220 e 330
Rita Peixoto
C19matematic: as TIC na aprendizagem da matemáticaOficina25hAté 2Grupos 100, 110 e 230João Ferreira
C20Os novos programas e o ensino das ciências naturaisOficina37h30Até 3Prof. 4º Grupo do 2º CEB, Grupo 11ºB (3º CEB) e Sec.Georgina Rodrigues
C21O ensino experimental das ciências: novas práticas no ensino básicoCurso25h1Grupo 110Susana Pereira
C22Linguagem Alternativa – Língua GestualCurso25h1Educadores, Prof. Ensino

Básico e Ens. Especial

Mª Luísa Ferreira
C23Avaliação e Intervenção terapêutica em crianças com problemas de linguagem e de falaCurso37h30m1,5 
Educadores, Prof. Ensino

Básico e Ens. Especial

Mª Luísa Ferreira
C24Criação de materiais de apoio para alunos com NEEOficina25hAté 2Educadores, Prof. Ensino

Básico e Ens. Especial

Manuela Dias
C25Curso de iniciação à escalada no meio natural, enquadramento de alunosCurso50h2Grupos 260 e 620Jorge Martins
C26O ensino experimental das ciências: novas práticas no ensino básico (2º e 3º Ciclos)Curso25h1 
Grupos 230 e 520
Susana Pereira
A13/C27A música enquanto expressão no ensino pré-escolar e 1º CicloCurso50h2Grupos 100 e 110Luís Capela
      Your browser may not support display of this image.
       
A15/C28O Ensino da Música: programa FinaleOficina25hAté 2Grupos 110, 250 e 610Valdemar Martins
A19/C29Atelier de expressão e educação plásticaOficina25hAté 2Grupos 100, 110, 240Manuela Janela
A12/C30Introdução à gestão do património culturalCurso25h1Grupos 200 e 400Alda Rodrigues
A9 /C31Ensino da História: a aula-oficinaOficina25hAté 2Grupos 200 e 400Amélia Samarão
A7 /C32Desenvolvimento de projectos científicos na sala de aula: metodologia, apresentação e avaliaçãoOficina25hAté 2Grupos 510Zita Esteves
A2 / C33Língua portuguesa e novas literaciasOficina25hAté 2Grupos 110, 200, 210, 220,

300, 310, 320

Luís Miguel Pereira
A8 / C34Recursos didácticos no ensino da física e química do 3º cicloOficina25hAté 2Grupos 510Zita Esteves
A10 / C35Desenvolver competências em história com recursos inovadoresOficina25hAté 2Grupos 200 e 400Amélia Samarão
A11 / C36Oficina de Formação: Defesa do Património CulturalOficina25hAté 2Grupos 200 e 400Alda Rodrigues
A18 / C37As T.I.C. no apoio à organização do ensinoOficina25hAté 2Grupos 100, 110João Ferreira
A3/ C38NEE: O ensino de alunos com DislexiaOficina25hAté 2Grupos 100, 110, 200, 210, 220, 300, 320, 330, 910, 920, 930Manuela Dias
A21/C39As TIC no 1º Ciclo - Aplicação Prática do Magalhães no Contexto EducativoOficina25hAté 2Grupo 110Valdemar Martins
C40Área Tecnológica Integrada no Curso Tecnológico de Informática – Gestão de Base de DadosCurso25h1 
Grupo 550 (3º Ciclo do Ensino Básico) e Secundário
 
Rui Martins
A20/C41Ensino da Matemática: a estatística para além da médiaCurso25h1Grupos 230 e 500Sílvia Carvalho
 

Cursos de Formação Área não Específica

Cod

Designação

Modalidade

 
Horas

Presenciais

Créd

Destinatários

Formadores

B1Apresentação multimédia e InternetOficina37h30Até 3Todos os GruposPaula Ferreira
B3A utilização das TIC nos processos de ensino e aprendizagemOficina

Ens. Distância

25hAté 2Todos os GruposRui Martins

João Andrade

B4Técnica VocalCurso25h1Todos os GruposSónia Sousa
B6Oficina de Formação: Dinâmica Teatral em Contexto EscolarOficina37h30Até 3Todos os GruposSónia Sousa
B7Projecto curricular de turmaOficina37h30Até 3Prof. Ensino Básico e

Secundário

Carlos Silva
B8Educação da sexualidade na escolaOficina25hAté 2Prof. Ensino Básico

e Secundário

Teresa Ribeiro
 
A1/

B9

Histórias contadas - a literatura e a cultura tradicionais no ensino da língua, no incentivo à leitura e na dinamização das bibliotecas escolares 
Curso
 
37h30
 
1,5
 
Grupos 100, 110, 200, 210,

220 e 300

António Castanheira
A17/B10Desenvolvimento de competências básicas em ExcelOficina25hAté 2Todos os GruposJoão Ferreira
A14/B11Edição de pautas e partituras musicais: O EncoreCurso37h301,5Grupos 100, 110, 250, 610Luís Capela
A16/B12O cavaquinho e a música tradicional na prática educativaCurso37h301,5Grupos 100, 110, 250, 610Luís Capela
 
 
 

Informações dos seguintes contactos: ' 253 609 250        Fax 253 609 259      È969 659 802 

Email: casadoprofessor@mail.ptprime.pt

DOCUMENTOS DA APEE - AFGC

LIVROS NEE

Associação de Pais e Encarregados de Educação

RECOMENDAÇÕES DA GRIPE A

Video