quinta-feira, 30 de abril de 2009

Participação da turma de 3º ano de Santo Amaro no Forum da educação





A nossa turma foi participar neste forum com uma canção de Carlos Paião. Um grupo de alunos cantou a canção da Cinderela e outro grupo executou uma dança. Fomos ensaiados, e bem ensaiados pelas nossas professoras de Musica e de Educação fisica. Com a professora de Inglês ajudamos a fazer o cartaz sobre alimentação saudável.
Foi um bom trabalho de equipa.





























































quarta-feira, 29 de abril de 2009

6º FÓRUM DE SAÍDAS/FORMAÇÃO E OPÇÕES PROFISSIONAIS - Programa e inscrições

Exmº(a) Senhor(a)PCE/PCI/PCAP
Na sequência do mail enviado no passado dia 16 de Abril, junto se enviam ficheiros com o programa definitivo e fichas de inscrição das diversas iniciativas. Mais se informa que as inscrições, gratuitas, para o Seminário FACTORES QUE FACILITAM A INSERÇÃO PROFISSIONAL, devem ser enviadas até 5 de Maio para Câmara Municipal da Póvoa de Varzim/Departamento de Desenvolvimento Local
– Divisão de Educação e Acção Social
* Rua Rocha Peixoto, 9
* 4490-679 Póvoa de Varzim, ou através do fax – 252618352,
Conferência “O ACESSO AO ENSINO SUPERIOR EM 2009”, a realizar no dia 5 de Maio;As escolas e entidades interessadas em visitar com os seus alunos a Mostra Informativa, devem informar da data e horário em que o pretendem fazer, contactando:
Dr. António Nova Araújo
= telefone – 252090000 /
Com os melhores cumprimentos
Paula Vieira
Secretariado da Direcção

ESPAÇOS CIÊNCIA




Projecto "A Guerra não é um brinquedo"


Exmº(a) Senhor(a)PCE/PCI/PCAP Por indicação do Senhor Director Regional Adjunto - Dr. António Leite, junto se enviam ficheiros relativos ao Projecto acima indicado, iniciativa promovida pela Aministia Internacional - PORTUGAL.

Com os melhores cumprimentos.

O Secretariado da ,

Paula Vieira

UTAD abre acesso ao Ensino Superior para cidadãos maiores de 23 anos

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), apostada em contribuir para um aumento da oferta formativa à comunidade e para o reconhecimento das competências pessoais e profissionais adquiridas ao longo da vida, abriu, até ao próximo dia 15 de Maio, um período de inscrição para acesso ao Ensino Superior a maiores de 23 anos.
As condições especiais de ingresso no Ensino Superior para estes cidadãos têm como objectivo a promoção da igualdade de oportunidades no acesso a este nível de ensino, atraindo novos públicos, numa lógica de aprendizagem contínua.
O Decreto-Lei nº64/ 2006 regulamenta assim o acesso ao ensino superior a indivíduos maiores de 23 anos, que poderão ser possuidores de qualquer grau de habilitação a nível secundário (incluindo o 12º ano), através da realização de provas especialmente adequadas. A ideia é reconhecer as experiências ou as competências profissionais destes candidatos adquiridas na vida activa, numa correlação com o curso ou cursos que pretendam frequentar.
Os candidatos admitidos serão integrados nas licenciaturas da UTAD, designadamente nas já reestruturadas de acordo com o processo de Bolonha. Os interessados poderão dirigir-se aos Serviços Académicos da UTAD ou consultar o link:
onde encontrarão toda a informação necessária para encetarem uma nova etapa no seu percurso formativo, desde o formulário de candidatura até ao regulamento das provas, passando pela lista e calendário de provas específicas por curso.
Agradecendo toda a divulgação que puder dar este assunto, subscrevemo-nos com os melhores cumprimentos, Pró-reitoria
Relações Públicas e Imagem
Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Quinta de PradosApartado 1014
5001-801 VILA REAL
Telf: +351 259 350778
Fax: +351 259 350962

Projecto "Contar com a Natureza"

Vimos lembrar que, no âmbito do X Encontro de Literatura Infantil,irão decorrer, no dia 15 de Maio, ao logo do dia, na Aula Magna da UTAD, várias sessões de teatro para a infância de temática ambiental («Contar com a Natureza»), apresentadas pela Filandorra, Teatro doNordeste, juntamente com visitas guiadas e animação na Feira do LivroInfanto-Juvenil.
Será uma experiência única para as vossas crianças. Porém, para quepossam participar, a escola deverá fazer a respectiva inscrição (gratuita) junto da organização do Encontro:
telf. 259350748; ou e-mail: fernanda@utad.pt
Com os melhores cumprimentos
OBLIJ-UTAD

SEMINÁRIO “GESTÃO DA SEGURANÇA”

Seminário "Gestão da Segurança" Exmo.(a) Senhor(a),
Convidamos Vª Ex.ª a participar no primeiro de cinco seminários na área de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho que se realiza no dia 29 de Abril no Centro de Formação Profissional de Chaves.Estes seminários são organizados pela APM – Associação Portuguesa de Management, tendo o apoio do Centro de Formação Profissional de Chaves e da Eurisko. A participação é gratuita, sujeita a confirmação.
Telef. 226096619
* Telem. 919205283
* email: apmdrn@mail.telepac.pt


16h45m – Recepção aos Participantes
17h00m – Abertura da Sessão Nuno Rodrigues
17h15m – Adesão Empresarial a Estratégias de Segurança e Saúde no Trabalho Augusto Andrade – Eurisko, SA
17h45m - Segurança nas Escolas – Uma Cultura Paula Megre
18h15m - O Enquadramento da Gestão de Segurança nas Organizações “O caso concreto da Construção Civil” Luís Fontes Machado
18h45m – A Organização dos Serviços de SHST e os Sistemas de Gestão - Marisa Ventura – Prio
19h15m – Debate
20h00m – Sessão de Encerramento
Presidente da APM
Local: Centro de Formação Profissional de Chaves do IEFP
– Av. da Cocanha Zona Industrial
– Outeiro SecoDestinatários: Quadros, Técnicos e Trabalhadores de PME’s

terça-feira, 28 de abril de 2009

Fórum da Educação 28, 29 e 30 Abril de 2009

As Escolas e os seus projectos
Iniciou-se a sessão de abertura pelas 9h30, com a presença do Sr. Presidente da Câmara Municipal de Chaves - João Baptista, e pelas mais altas personalidades do concelho.
Este evento decorre entre 28 e 30 de Abril, no Pavilhão Expoflávia, em Chaves, e com o seguinte horário de funcionamento:
Manhã
9h - 12h30
Tarde
14h - 18h30
Noite
20h30 - 23h
Estão presentes diversos stands, entre os quais o das Associações de Pais do concelho de Chaves.
Cada Escola Secundária da cidade e cada Agrupamento Vertical com o seu respectivo stand:
- Agrupamento Vertical Dr. Francisco Gonçalves Carneiro;
- Agrupamento Vertical Nadir Afonso;
- Agrupamento Vertical de Vidago;
- Escola Secundária Dr. António Granjo;
- Escola Secundária Dr. Júlio Martins;
- Escola Secundária Fernão de Magalhães.
Bombeiros Voluntários de Salvação Pública de Chaves;
Bombeiros Voluntários de Vidago;
GNR - Guarda Nacional Republicana;
PSP - Polícia de Segurança Pública;
USAF - Universidade Senior;
CPCJ - Comissão de Protecção de Crianças e Jovens;
Exército - RI 9 - Regimento de Infantaria - Centro de Recrutamento de Vila Real ;
AEC'S - Actividades de Enriquecimento Curricular;
Escola Profissional de Chaves;
Centro de Formação de Chaves;
Escola de Enfermagem Dr. Montalvão Machado;
AFTAD - Associação Flor do Tâmega de Apoio a Deficientes;
Academia de Artes de Chaves;
ADRAT - Associação de Desenvolvimento da Região do Alto Tâmega;
ACISAT - Associação Empresarial do Alto Tâmega;
Centro de Saúde nº 1 e nº 2 de Chaves;
Centro de Formação da Associação de Escolas do Alto Tâmega e Barroso;
Escolas da Rede Privada do concelho de Chaves - Jardim-Escola João de Deus;
Externato Pinguim;
Município de Chaves - Divisão de Educação e Desporto;
Eurocidade de Chaves - Verin.
Compareça e participe.
Contamos com a sua presença.
Dê a sua opinião/sugestão.
OBRIGADO.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

O alargamento da escolaridade obrigatória


O alargamento da escolaridade obrigatória e a universalização do pré-escolar


1. Foi aprovada em Conselho de Ministros uma proposta de lei sobre a escolaridade obrigatória que alarga para 12 anos e até aos 18 anos de idade a frequência de instituições de ensino ou formação.

2. Esta mesma proposta de lei consagra igualmente a universalidade e gratuitidade da educação pré-escolar para crianças com 5 anos de idade.

3. Prevê-se que a obrigatoriedade se aplique aos alunos que no próximo ano lectivo ingressem no 7.º ano de escolaridade ou em todos os anos anteriores.

4. As condições, designadamente de prazo e de gratuitidade, da universalização da educação pré-escolar para crianças com 5 anos serão estabelecidas em diploma próprio que será aprovado após as negociações com os parceiros (Associação Nacional de Municípios Portugueses, IPSS, Misericórdias, e Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo).

5. Neste momento, está em curso a construção de 300 novas salas para o pré-escolar na Área Metropolitana de Lisboa e está aberto um concurso para alargamento da rede na Área Metropolitana do Porto, esperando-se que em 2010 a capacidade de acolhimento permita um crescimento da cobertura nacional da ordem dos 5 pontos percentuais.

6. Já a partir do próximo ano lectivo, vão ser criadas bolsas de estudo para os alunos do ensino secundário que se incluam nos escalões 1 e 2 do abono de família. A bolsa tem o valor mensal de duas vezes o valor do abono de família, o que significa que os alunos poderão receber 138 euros mensais no escalão 1 e 105 euros mensais no escalão 2. As bolsas estarão condicionadas ao aproveitamento escolar do aluno.

7. Considerando as idades e condições de rendimento das famílias dos alunos inscritos no ensino secundário, estima-se que o custo da medida ultrapasse os 45 milhões já no próximo ano.

8. Quando a obrigatoriedade de frequência estiver totalmente concretizada, estima-se que o custo do apoio social se aproxime dos 150 milhões de euros.

Dia Mundial do Livro - 2 projectos de leitura


Dia Mundial do Livro

Dois projectos de incentivo à leitura A ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, anunciou ontem na sessão de abertura da Conferência Nacional de Educação de Infância que o Plano Nacional de Leitura vai ser alargado ao pré-escolar já no próximo ano lectivo.

O Ministério da Educação pretende, deste modo, consolidar a componente educativa nas salas do pré-escolar, levando mais livros às crianças até aos 6 anos de idade, no sistema público, particular e cooperativo e na rede solidária (IPSS). Durante a abertura da conferência, que coincidiu com o Dia Mundial do Livro, a ministra da Educação divulgou ainda outro projecto que visa promover a leitura desde a infância.

Trata-se do programa «Crescer e Ler», que tem como objectivo levar livros aos centros de saúde e hospitais pediátricos, de forma a sensibilizar as famílias e envolver ainda mais as crianças no processo de leitura. Esta proposta partiu da APEI (Associação de Profissionais de Educação de Infância) e visa complementar os programas de aconselhamento de saúde infantil disponíveis nos centros de saúde e hospitais pediátricos, com a oferta de livros que possam desenvolver e despertar o gosto pela leitura.

A iniciativa que envolverá a APEI e o Ministério de Educação, através do Plano Nacional de Leitura, vai arrancar já no próximo ano.

Detalhes sobre este programa estão disponíveis em:

quinta-feira, 23 de abril de 2009

APAJEFATIMA

“Estado Emocional: O motor que faz a diferença

”No âmbito do Programa de Apoio à Família (apoiado pela Direcção Geral de Segurança Social), a Associação de Pais – APAJEFATIMA tem o prazer de vos convidar a participar numa formação subordinada ao tema “Estado Emocional: O motor que faz a diferença” que será dinamizada pelo Psicopedagogo/Psicólogo Clínico Miguel Ferreira.
Esta sessão será gratuita e terá lugar no salão paroquial de Fátima (junto à Igreja Matriz) no próximo dia 24 de Abril, sexta-feira das 20.30h às 22.30h.“Todo o poder vem de dentro e está, portanto sob o nosso controle” – Robert CollierPodemos descobrir como!
Nota:
Para os Pais e Encarregados de Educação de Educação que não tenham onde deixar os seus educandos, haverá um serviço de babysitting a funcionar na CAF do Jardim de Infância com as funcionárias da Associação de Pais.
PS – Lembramos ainda que se encontram abertas as inscrições para o grupo de pais pró-activos. Mais informações em www.apajefatima.pt ou através dos nºs:
249 533 895 ou 914 383 356.
APAJEFATIMA

Dia da Família - Desporto Escolar - 15 de Maio

Dia da Família - Desporto Escolar - 15 de Maio

Foi feito um desafio a todos os agrupamentos e escolas para desenvolverem neste dia actividades com as famílias de Alunos e Funcionários quer docentes quer discentes. O tipo de actividades a desenvolver estarão dependentes do projecto educativo de cada escola e das capacidades de organização e oferta da mesma.
Poderá ir de uma simples caminhada, até outras actividades mais complexas que promovam o convívio e a actividade física.Deverá ser uma organização com o envolvimento das respectivas Associações de Pais.
Para além desta proposta a todas as escolas a DGIDC está a desenvolver um Programa de Actividades variadas, com o apoio de várias Federações Desportivas, que terá lugar no Complexo Desportivo do Estádio do Jamor, disponibilizado para o efeito pelo IDP.Para este grande evento serão convidadas todas as Escolas do Concelho de Oeiras e escolas da Amadora e Lisboa que mostrem interesse na sua participação.
Estão já programadas actividades como Caminhada Gímnica para vários níveis de participantes, Actividades com cordas (saltar à corda), BTT, actividades aquáticas, Canoagem e outras.
Paralelamente e também englobada nas actividades com as escolas de Setúbal no âmbito dos Campeonatos Nacionais do Desporto Escolar, a DGIDC está a prever uma actividade para as famílias, no Concelho de Setúbal, neste dia.

»» CARTAZ ««

Conferência Ibero-americana de Educação aprova Declaração de Lisboa

Junto divulgamos a Declaração de Lisboa, que resultou da XIX Conferência Ibero-Americana de Educação, realizada na passada segunda-feira, dia 20 de Abril, no Centro Cultural de Belém.

Declaração de Lisboa
As Ministras e Ministros da Educação dos Estados Ibero-americanos, reunidos na XIX Conferência Ibero-americana de Educação, no quadro da XIX Cimeira Ibero-americana de Chefes de Estado e de Governo, que terá lugar nos dias 30 de Novembro e 1 de Dezembro de 2009, sob o tema ”A Inovação e o Conhecimento”.
CONSIDERAM:
1.
Que a inovação e o conhecimento, tanto na sua produção como na sua aplicação a todos os aspectos da vida das nossas sociedades, representam um factor decisivo para elevar os índices de desenvolvimento humano como condição para a consecução da justiça social.
2.
Que as alterações económicas e sociais que se estão a verificar provocam uma transformação cultural à qual os sistemas educativos devem fazer face.
3.
Que as Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) alteraram a abordagem da educação no que respeita à criação e transmissão do conhecimento e suscitam desafios de natureza ética que deverão ser orientados por princípios de equidade, solidariedade e respeito pela diversidade.
4.
Que, numa situação de crise como a que actualmente se apresenta ao conjunto das nações, a aposta na inovação e na educação, mediante a utilização generalizada das TIC, constitui uma via ineludível para melhorar a situação da nossa região. Tudo isso com o objectivo de produzir novos conhecimentos consentâneos com as necessidades, especificidades e aspirações nos nossos povos, bem como para a sua aplicação mais generalizada.
5.
Que a celebração dos bicentenários das independências da maioria (muitos) dos países ibero-americanos, que terá início no corrente ano, constitui uma oportunidade única para a consecução de maiores níveis de coesão e desenvolvimento da comunidade ibero-americana de nações através da educação.
6.
Que os progressos constatados na concretização dos Programas coordenados pela Secretaria-Geral Ibero-americana (SEGIB) e a Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI) e, sendo caso disso, pelo Conselho Universitário Ibero-americano (CUI), acordados nas Cimeiras Ibero-americanas de Chefes de Estado e de Governo, como sejam o Plano Ibero-americano de Alfabetização e Educação de Jovens e Adultos (PIA), o Espaço Ibero-americano do Conhecimento, com o seu Programa “Pablo Neruda”, assim como outras acções que visam a melhoria da educação e da formação profissional – como a RELPE e a ATEI -, demonstram a pertinência e a importância do esforço partilhado e solidário que subjaz à cooperação ibero-americana.
7.
Que a proposta “Metas educativas 2021: a educação que queremos para a geração dos bicentenários” constitui uma oportunidade histórica e um desafio estratégico para dar o impulso definitivo que a educação exige em cada um dos nossos países, como o demonstra o apoio obtido da XVIII Cimeira Ibero-americana de Chefes de Estado e de Governo.
ACORDAM
1.
Promover a inovação e o conhecimento como factores estratégicos fundamentais nas políticas educativas para a geração:
a) de novos conhecimentos;
b) maiores níveis de desenvolvimento humano;
c) bem-estar social;
d) desenvolvimento sustentável;
e) desenvolvimento de aprendizagens significativas;
f) incremento de oportunidades de acesso de todos à educação e ao conhecimento.
2.
Reiterar a inevitabilidade de as políticas públicas de ensino, que os nossos Estados devem promover e levar a cabo com a colaboração dos diferentes actores sociais, incorporarem a visão estratégica trazida pela inovação científica e tecnológica e as grandes possibilidades geradas pelo uso das novas tecnologias na educação.
3.
Promover estratégias que visem a universalização do acesso às Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) e o desenvolvimento de conteúdos digitais, entre outros, através de programas de alfabetização digital e tecnológica com vista a fomentar a apropriação social do conhecimento.
4.
Comprometer-se a enfrentar a actual situação de crise económica mundial com um esforço redobrado através da educação, da ciência e da inovação, gerando mecanismos para proteger, manter e aumentar os orçamentos para educação de todos os países e convertendo, deste modo, esta circunstância numa oportunidade para a consecução de maiores níveis de coesão e desenvolvimento da nossa região.
5.
Defender a oferta de uma educação de qualidade com a maior gratuidade possível, de acordo com as políticas públicas desenvolvidas por cada país.
6.
Reforçar a formação do pessoal docente, em especial, em matéria de TIC e incorporá-las nos processos educativos dos nossos países em todos os seus níveis.
7.
Estimular as vocações precoces das crianças e dos jovens no âmbito da ciência e da tecnologia, com o objectivo de garantir a formação e a transição de novas gerações de investigadores e cientistas.
8.
Considerar o conhecimento como um bem público, promovendo a sua apropriação social como elo para a construção de processos de inovação social e educativa, com vista a alcançar o desenvolvimento sustentável e integral dos nossos povos.
9.
Apoiar o trabalho desenvolvido pela SEGIB e a OEI em matéria de coordenação e aplicação do PIA, como Programa da Cimeira, assim como, juntamente com o CUI, do Programa Ibero-americano de mobilidade “Pablo Neruda”, cuja rápida aplicação valorizam positivamente. Reiterar a importância da universalização da alfabetização, reconhecendo a diversidade de programas e métodos existentes na região.
10.
Promover a colaboração entre os sistemas nacionais de avaliação e de certificação da qualidade do ensino superior da região, a fim de favorecer o estabelecimento de mecanismos ágeis de reconhecimento mútuo de períodos de formação, títulos e diplomas.
11.
Instar a OEI a estender os programas e projectos que actualmente leva a cabo com vista à melhoria da qualidade da educação e da formação técnico-profissional e a consolidar o Centro Universitário de Altos Estudos Ibero-americanos, as Comissões Consultivas de Peritos Ibero-americanos e os Institutos para o Desenvolvimento e a Inovação Educativa.
12.
Aprovar as metas educativas gerais apresentadas pela OEI com vista à concretização da proposta “Metas Educativas 2021: a educação que queremos para a geração dos bicentenários”:
Reforçar e ampliar a participação da sociedade na acção educativa.
Aumentar as oportunidades e a atenção educativa à diversidade das necessidades dos alunos.
Expandir a oferta de educação inicial e potenciar o seu carácter educativo.
Universalizar o ensino primário e secundário básico e melhorar a sua qualidade.
Oferecer um currículo significativo que assegure a aquisição das competências básicas para o desenvolvimento pessoal e o exercício da cidadania democrática.
Aumentar a participação dos jovens no ensino secundário superior, no ensino técnico-profissional e no ensino universitário.
Favorecer a ligação entre a educação e o emprego por meio da educação técnico-profissional.
Oferecer a todas as pessoas oportunidades de aprendizagem ao longo da vida.
Fortalecer a profissão docente.
Ampliar o espaço ibero-americano do conhecimento e fortalecer a investigação científica.
Investir mais e melhor na educação.
Todas estas metas traduzem fielmente o nosso compromisso futuro com a coesão das nossas sociedades em torno de objectivos de justiça e democracia
13.
Promover o processo de debate do projecto para que conte com a mais ampla difusão e participação, tanto junto de entidades governamentais como não governamentais, e conseguir, desta forma, o maior nível de consenso, compromisso e apropriação colectiva.
14.
Encarregar a OEI do desenvolvimento desta proposta com a concretização dos seus objectivos, metas, indicadores, programas de acção compartilhados e mecanismos de acompanhamento e de avaliação, a apresentar na Conferência Ibero-americana dos Ministros e Ministras da Educação que terá lugar na República Argentina, em Setembro 2010.
15.
Requerer à OEI que, a partir do estudo dos custos realizado em 2009, avance na criação de um fundo de cooperação solidário.
16.
Encarregar a OEI de identificar, em consulta com os Estados-Membros, pelo menos cinco metas prioritárias e respectivos indicadores e níveis de concretização que possam ser aplicados pelos países.
17.
Apoiar a proposta apresentada pela OEI de um programa educativo para favorecer a primeira infância, dos 0 aos 5 anos, e solicitar o seu desenvolvimento, a fim de promover a equidade e as aprendizagens pertinentes e significativas, dando prioridade às crianças com maiores carências e necessidades, de molde a antecipar e dar cumprimento aos objectivos previstos nesta matéria na proposta “Metas 2021”.
18.
Aprovar a realização do Congresso Ibero-americano de Educação, na Argentina, em 2010, à margem da XX Conferência Ibero-americana de Ministros da Educação.
19.
Apresentar à XIX Cimeira Ibero-americana de Chefes de Estado e de Governo as propostas aprovadas no que respeita às Metas Educativas 2021 e avançar na criação do Fundo Solidário de Cooperação, encarregando a SEGIB, juntamente com a OEI, do desenvolvimento de ambas as iniciativas, a apresentar na XX Cimeira Ibero-americana de Chefes de Estado e de Governo.
20.
Agradecer, finalmente, o caloroso acolhimento, a cortesia e a organização eficaz com que nos brindaram o Ministério da Educação da República Portuguesa e a OEI que contribuíram decisivamente para o êxito desta Conferência e para a cooperação ibero-americana na área da educação.
Andorra Joan Burgués Brasil
José Henriques Paim Fernandes Chile Ramon Cristián MartinezCuba Kenelma Carvajal PerezEquadorGuido RivadeneiraEspanhaAngel GabilondoHondurasMarlon Brevé ReyesNicaráguaMiguel de Castilla Urbina ParaguaiLuis Alberto Riat Montaner PortugalMaria de Lurdes RodriguesUruguaiMaría SimonOEIÁlvaro Marchesi
ArgentinaJuan Carlos TedescoBolíviaDiogo Pary Costa RicaLeonardo Garnier Rimolo ColômbiaCecilia María Vélez WhiteEl SalvadorSilvia MartinezGuatemalaMaria Luisa Ramirez de FloresMéxicoAlonso Lujambio IrazábalPanamáMinerva Lara BatistaPerúLuzmila Zanabria República DominicanaMelanio ParedesVenezuelaAna Margarita Pasquier
Portugal, Lisboa, 20 de Abril de 2009

A Educação Sexual em Contexto Escolar

Curso
A Educação Sexual em Contexto Escolar
1ª Edição
O Serviço de Educação Contínua da FPCE.
UP informa que se encontram abertas as inscrições para o Curso: A Educação Sexual em Contexto Escolar.
O curso tem a duração de 30 horas e decorrerá entre o dia 19/05 a 22/06/2009, tem como Coordenadora Cientifica a Professora Doutora Isabel Menezes (PROFESSORA ASSOCIADA COM AGREGAÇÃO DA FPCEUP) e como formadores o Dr. Francisco Pintado (Licenciado em Psicologia pela FPCE.UP e Pós-Graduação em Consulta Psicológica, Conjugal e Sexual) e a Dra. Luísa Campos (Licenciada em Inglês; Coordenadora do Projecto de Educação Sexual na EB 2,3 de Custóias; D.E.S.E. em Animação Comunitária e Formação de Adultos).
As inscrições estão abertas até ao dia 14/05/2009. Destinatários: Licenciados/as das áreas das Ciências Sociais e Humanas, Ciências da Educação, Psicologia, entre outras que procuram formação complementar à sua Licenciatura na Universidade do Porto. Especificamente Professores dos Ensino Básico e Secundário.
Objectivos:
A Educação Sexual nas escolas reveste-se de extrema importância, pois a sexualidade é uma componente integrante do ser humano. Segundo João Viegas Fernandes (2001) “A Educação Sexual, se adequadamente realizada, permite eliminar preconceitos e superar angústias e ansiedades relativas à sexualidade, contribuindo para a diminuição da agressividade das/os alunas/os e para o seu maior empenhamento e melhor desempenho na aprendizagem, em geral”. Assim, a Educação Sexual nas escolas contribuirá para um relacionamento menos preconceituoso entre géneros e aumentará o respeito entre alunas/os, modificando comportamentos, desenvolvendo o espírito crítico e atitudes cívicas necessárias ao exercício da cidadania, porque existe uma relação entre a sexualidade e a vida pública.
Por outro lado, a informação é prevenção e, desta forma, estaremos a contribuir para a diminuição dos comportamentos sexuais de risco (o aumento em Portugal dos infectados com o HIV e outras DST), bem como a diminuição da maternidade na adolescência (Portugal é o segundo país com a taxa mais alta na comunidade Europeia). Para informações mais detalhadas sobre conteúdos programáticos, calendarização, propina e inscrições deste curso, por favor consultem o site em www.fpce.up.pt/gec.

Escola da Pais - Jardim de Infância Catavento


ESCOLA DE PAIS
Primeira Sessão:
24 de Abril de 2009 – Das 20h30m às 22h
Como Proteger os nossos Filhos?
A Segurança das Crianças: Protagonistas e Contextos “O medo derrota mais pessoas que qualquer outra coisa no mundo.'-- Ralph Waldo Emerson
Inscrições Gratuitas – 21 467 51 56/91 974 62 83Participação sujeita a inscrição Actividade dinamizada pelo Prof. Dr. Victor Moita, Psicólogo, Professor universitário e Especialista em Psicologia do Desenvolvimento e Psicologia Clínica (crianças, adolescentes e jovens).
O Catavento – Jardim de Infância
Av. Júlio Dantas, 1023 / 1023- A
Caparide – 2785-358 S. Domingos de Rana
21 467 51 56/ 91 974 62 09

Divulgação - Festa da Primavera/Academia de Artes de Chaves


Bom dia,


A pedido da Academia de Artes de Chaves (AAC), segue informação sobre um evento que irá decorrer nos próximos dias 9 e 10 de Maio.

Bom trabalho!

Tânia Oliveira-- Divisão de Educação e Desporto

Município de Chaves

Centro Cultural de Chaves

Telef. 276333713/14

Fax. 276322535

Semana do Ambiente, 18 a 22 de Maio de 2009 - Fundação de Serrralves

Exmos. Senhores,
O Serviço Educativo da Fundação de Serralves, vem por este meio convidar toda as Escolas a participarem na SEMANA DO AMBIENTE que se realiza entre 18 e 22 de Maio de 2009, no Parque de Serralves.
No dia 20 de Maio será organizado e promovido o “Dia da Energia” e no dia 22 de Maio comemora-se o Dia Internacional para a Diversidade Biológica.
Esta SEMANA DO AMBIENTE oferece a participação gratuita num conjunto de OFICINAS, JOGOS, CONCURSOS e VISITAS, dinamizadas no âmbito dos temas da ÁGUA, AR, TERRA, ENERGIA E BIODIVERSIDADE.
Ao longo da semana os alunos têm também a possibilidade de visitar Mostras de Trabalhos, inseridas nas temáticas dos programas de educação ambiental, que serão realizadas e apresentadas por escolas participantes e convidadas.
Todas as actividades decorrem na Quinta de Serralves, nas salas do Serviço Educativo e ao ar livre.
Consulte os programas e realize já a sua inscrição através do respectivo formulário, que pode encontrar em. http://www.serralves.pt/actividades/detalhes.php?id=1643
Com os melhores cumprimentos,
O Serviço Educativo da Fundação de Serralves

terça-feira, 21 de abril de 2009

Escrever! Sim, mas…

Carla Marques*

As actividades em torno da escrita reúnem um consenso que ultrapassa os limites da disciplina de Português. Todos os professores, independentemente da sua área de especialização, reconhecem a importância do desenvolvimento desta competência para a formação do aluno enquanto cidadão integral e responsável. Porém, não é sobre os princípios que aqui reflectimos, mas sobre as práticas. O espaço real da sala de aula ensinou ao professor de Português que a aprendizagem da escrita se depara com dificuldades de variadíssima ordem que acarretam questões de difícil resposta. Entre elas encontra-se uma que tem, no actual panorama escolar, independentemente dos níveis ou dos ciclos de ensino, uma actualidade inquestionável: como conciliar o desenvolvimento reflectido e efectivo da competência de escrita com a presença insinuante das TIC e a tentação do que se poderia designar por copiar-colar?
Cada processo de escrita que ocorre fora do olhar do professor sofre, ou potencialmente pode sofrer, a tentação das inúmeras ofertas disponíveis no mundo virtual: os relatórios, as narrativas livres, as entrevistas, as biografias, os resumos, as sínteses, os textos argumentativos… uma imensidão de escritos que, de forma alguma, se poderá controlar, conhecer, identificar. Reconheçamos, porém, que estes perigos do “copiar-colar” não são de agora.
Recordo o episódio de uma aluna que apresentou ao professor a biografia de um escritor integralmente copiada, à mão, porque noutros tempos estávamos, de uma longa e pormenorizada enciclopédia, assinando no final, como se o denso trabalho a si se devesse. Situação que tantas vezes se repete, com os mais diversos cambiantes. Aquelas tentações não são de agora, não! Sim, mas… eliminamos as TIC da aula de Português, regressamos de novo à “ardósia” e ao “giz”?
A História em geral, tal como a História da Educação em particular, têm-nos mostrado que os excessos têm tendência a conduzir posteriormente a momentos de equilíbrio. São estes que procuramos no actual contexto. Todos nós. Não tendo soluções à vista, não resisto, todavia, a partilhar uma muito nova experiência no mundo dos portefólios virtuais, os ditos webfólios. (leitura integral)* Carla Marques - Mestre em Linguística e doutoranda na mesma área. É autora de várias publicações de carácter didáctico e de carácter linguístico. É docente na Escola Secundária/3 de Carregal do Sal.
in CORREIO DA EDUCAÇÃO

A PALAVRA AOS PROFESSORES

Nome: Ana Paula Paiva Dias
Habilitações: Licenciatura e Mestrado Disciplinas leccionadas: Português e PLNM;
Escola: Sec./3 José Cardoso Pires/ Universidade Fac. Letras Universidade de Lisboa/ Universidade Aberta;
Ano: 1990
– O que é para si ensinar?
Ajudar a pensar sobre o que nos rodeia, a questionar ou validar as experiências e informações que chegam continuamente de todos os lados e a posicionar-se perante elas de forma crítica e informada.
– O que é um manual da(s) sua(s) disciplina(s) bem conseguido?
Um manual pautado pelo rigor científico e pelas propostas de abordagem pedagógica consequentes.
– O que é hoje um docente realizado?
Não sei… Penso que a profissão se encontra numa fase de redefinição identitária; ser professor hoje é muito diferente do que era sê-lo há 10 ou 20 anos, pelo que me parece que estamos ainda numa fase de transição em relação ao papel do professor e da escola neste início do século XXI.
– Quais os vectores da profissão mais gratificantes? E os menos gratificantes?
Diria que o mais gratificante é conseguir fazer com que a educação seja um factor de discriminação positiva; a pessoa educada e informada pode optar, por oposição a quem não sabe, não conhece e, consequentemente, não pode
.– Por que é Professora? Qual o porquê da sua opção profissional?
A resposta a esta pergunta é a resposta à pergunta seguinte…
– Teve modelos como aluna (um professor, familiar…)? E como Professora? Como o(s) caracteriza?
- No remoto ano de 1973, tive uma professora de Português no Liceu D. Filipa de Lencastre, em Lisboa, a quem aproveito para agradecer aqui e agora, esteja ela onde estiver e mesmo que já não esteja entre nós, o que penso ser o caso; foi ela que me fez querer ser professora de Português. A maneira como nos falava de livros, jornais e do mundo, em geral, cativou-me para sempre. Obrigada, Professora Margarida Léon.
(leitura integral)
in CORREIO DA EDUCAÇÃO

AGENDA

Ciclo de Seminários "Artistas e Profissionais da Cultura: Carreiras e Mercados de Trabalho"15 de Abril a 31 de Outubro
Discutir quem são e o que fazem hoje os artistas e os profissionais criativos e culturais, analisando as suas carreiras e as dinâmicas dos seus mercados de trabalho, as redes de cooperação em que se movimentam, as suas formas de concorrência, os processos de construção da sua reputação. Sociólogos, economistas, especialistas das artes e da cultura, e todos os interessados pelos “mundos da arte” são convidados a analisar, discutir e apresentar ideias para pesquisas futuras sobre quem são os artistas e como é que trabalham e vivem nos dias de hoje. Os seminários realizam-se em datas alternadas entre 15 de Abril e Outubro, na Sala Polivalente do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e ISCTE, pelas 17h30.

Conferência “Terá Darwin Morto Deus?”21 de Abril
No ano em que se comemora os 200 anos do nascimento de Charles Darwin e os 150 anos da publicação da sua obra “Sobre a Origem das Espécies através da Selecção Natural”, o ciclo “Biologia da Noite” dedica o seu programa ao tema da evolução. No dia 21 deste mês, a Conferência “Terá Darwin Morto Deus?, Criacionismo, Evolucionismo e a Plenitude da Vida” estará a cargo do Prof. António M. de Frias Martins (Universidade dos Açores). No Centro Cultural e de Congressos de Aveiro, 21h30.

Colóquio “Média, Democracia e Liberdade” 22 de Abril
Será que os condicionalismos e constrangimentos que afectam a actividade dos jornalistas, dentro e fora das salas de redacção, põem em causa o pleno exercício da sua profissão? Será que a produção da informação e, em geral, o trabalho literário se processam à margem da sociedade em que se inserem? Será que sem um jornalismo livre e sem verdadeira liberdade de expressão pode existir uma democracia autêntica? Estas serão algumas das questões abordadas no Colóquio em questão, a ter lugar na Casa do Alentejo, pelas 18h30.

Colóquio “25 de Abril – 35 Anos Depois” 23 de Abril
Ao Colóquio conta com a participação de Ramalho Eanes, Belmiro de Azevedo, Pacheco Pereira e Adelino Gomes. No Auditório Muncipal de Grândola, às 21h30.

V Conferência “Desenvolvimento Vocacional” 23 e 24 de Abril
A Conferência Vocacional 2009 pretende suscitar a partilha e a discussão de conhecimento e da investigação sobre teorias, medidas e métodos de avaliação e de intervenção psicológica nos problemas e necessidades de ajustamento e de integração nos contextos de vida ocupacionais, de uma variedade de grupos e face a condições específicas. As questões associadas à qualidade dos serviços e à formação e desempenho dos profissionais de Psicologia e afins, neste âmbito, são outros dois eixos de discussão privilegiados neste fórum científico. Nas instalações da Universidade do Minho, Campus de Gualtar, em Braga. (Informações – e-mail).

Seminário “Educação e Formação de Adultos: do Ensino às Aprendizagens” 30 de Abril
Organizado pelo Departamento de Ciências da Educação da Universidade da Madeira, o Seminário destina-se a alunos de todos os cursos do Departamento de Ciências de Educação, alunos do Departamento de Educação Física e Desporto e todos os demais interessados. As inscrições são gratuitas. Na Sala do Senado, campus da Penteada (Universidade da Madeira), entre as 14h30 e as 16h30.
Informações sobre os eventos anunciados deverão ser obtidas juntos das respectivas instituições organizadoras.
Direcção:
José Esteves Rei
Coordenação: Sérgio Portelada
Redacção: Eva Gomes e Pedro Gentil
Morada: Rua Caminho do Senhor, 230
4410-083 Serzedo, V. N. Gaia
Tel.: 227537800
E-mail: ce@asa.leya.com
Edição: Edições ASA II, SA

10.º aniversário do massacre de Columbine


Ontem
A região de Denver, no Colorado, comemorou o décimo aniversário do massacre no Liceu Columbine, um dos piores da história norte-americana num recinto escolar.
Na noite de Domingo, centenas de pessoas reuniram-se para uma vigília num parque vizinho ao estabelecimento de Littleton, a Sul de Denver, onde se passou a tragédia cujas imagens difundidas em directo pelas televisões provocaram uma onde de choque no mundo inteiro a 20 de Abril de 1999.
Foi neste jardim público que se erigiu um monumento em memória dos 12 alunos e do professor assassinados por Eric Harris e Dylan Klebols, dois estudantes marginalizados.
Neste massacre foram ainda feridas 23 pessoas.
Apesar do profundo impacto que o massacre provocou e do activismo do realizador Michael Moore, que realizou o documentário "Bowling For Columbine", não houve nos Estados Unidos uma mudança radical na legislação sobre as armas de fogo.
Dez anos depois e apesar de novos massacres nos estabelecimentos escolares, como o da Universidade da Virgínia em 2007 que provocou 32 mortes, possuir uma arma nos Estados Unidos continua a ser um direito garantido pela Constituição norte-americana.

Sexualidade: Pais precisam de educação sexual

Os pais portugueses estão não estão preparados para assumirem a educação sexual dos filhos e necessitam urgentemente de formação, disse na noite de terça-feira, na Figueira da Foz, o monsenhor Vítor Feytor Pinto. Intervindo durante a tertúlia Reacontece, no Casino da Figueira da Foz, sobre a educação sexual nas escolas, Feytor Pinto considerou que a sexualidade é «dominada por tabus» no seio das famílias portuguesas e que estas revelam falta de preparação para falarem do tema com naturalidade. «Quem precisa urgentemente de educação sexual são os adultos. Se nós não tivermos adultos a saberem com o que é que lidam, efectivamente nunca poderão ser educadores», disse.
«Os pais que não têm formação, que ainda não descobriram a beleza da sexualidade de uma maneira positiva e apenas vêem o monstro da sexualidade, como é que podem ser os educadores dos seus filhos?», inquiriu. Frisando que os pais nessa situação «têm de recorrer à escola» numa perspectiva de complementaridade, Feytor Pinto sustentou a educação para a sexualidade humana «é muito mais vasta do que a actividade sexual».
«[A sexualidade] contém como elemento mais pobre a actividade sexual», referiu. Feytor Pinto recusou que a Igreja Católica possua uma visão retrógrada da sexualidade humana, embora tenha admitido existirem «algumas vozes» retrógradas «que têm que mudar». «É essa a minha luta há 27 anos, não estou no ar, estou a lutar por isto. Por isso me especializei, trabalhei na área, para dizer aos padres, aos bispos, o que se deve fazer nesta área extremamente importante para a educação das novas gerações», sublinhou.
Presente no debate, a psicóloga Margariga Gaspar de Matos - que integrou o Grupo de Trabalho para a Educação Sexual (GTES), que laborou durante dois anos e cujas propostas foram acolhidas no projecto-lei do Partido Socialista, recentemente aprovado no Parlamento -- disse que existem escolas em Portugal com trabalho efectivo na área da educação para a Saúde. «Há muita coisa a ser feita. Às vezes as pessoas não sabem, para injustiça dos próprios professores», disse. Alegou que a nova lei surgiu da necessidade de outras escolas «que funcionam mal» assumirem responsabilidades e prestarem contas à sociedade civil.
«Por isso é que há uma lei, é para proibir as escolas de qualidade baixíssima de continuarem assim», disse Por outro lado, aconselhou os estabelecimentos de ensino «de excelência» a ignorarem a nova lei. «Continuem, não liguem à lei. Façam mais do que a lei, que é o que já estão a fazer até agora», exortou.
Diário Digital / Lusa 11-03-09

IDT: Pais têm de controlar mais o que os filhos bebem

O presidente do Instituto da Droga e Toxicodependência (IDT) acusa os pais de se «demitirem das responsabilidades enquanto educadores» ao permitirem que os filhos saiam à noite e bebam em excesso. Para o presidente do IDT, João Goulão, não faz sentido a ideia de que os progenitores desconhecem o que fazem os filhos: «Os pais têm de saber o que os filhos bebem quando saem à noite» e por isso, conclui, estão a «demitir-se das suas responsabilidades enquanto educadores». «Quando saem, muitos jovens bebem álcool e também bebem o juízo», disse João Goulão, em entrevista à agência Lusa.
Além das mazelas directas para a saúde do consumo excessivo de bebidas alcoólicas, João Goulão lembra que essas noitadas podem terminar em gravidezes não desejadas, no contágio de doenças sexualmente transmissíveis, envolvimento em actos de violência e acidentes de viação. Os consumidores de álcool apresentam «com mais frequência envolvimento com experimentação e consumo de tabaco e substâncias ilícitas e envolvimento em lutas e situações de violência na escola», alerta o Plano Nacional para a Redução dos Problemas Ligados ao Álcool, do IDT, em discussão pública desde Fevereiro.
De acordo com estudos referidos no plano, os jovens começam a beber cada vez mais novos e em cada vez mais quantidades: o início do consumo de álcool está a aumentar entre os 15 e os 17 anos, tendo passado dos 30 por cento em 2001 para os 40 por cento em 2007. Além disso, os mais novos estão a adoptar perigosos padrões de consumo até agora associados aos povos nórdicos, de «grandes exageros aos fins-de-semana». Quase metade dos jovens entre os 15 e os 24 anos admitiu ter tido, pelo menos uma vez no último ano, um consumo tipo binge (mais de quatro doses de bebida numa só ocasião) e 11,2 por cento dos adolescentes entre os 15 e os 19 anos assumiram «ter-se embriagado no último mês», refere o relatório, citando um estudo nacional.
«Os portugueses estão a adoptar padrões de consumo nórdicos, ou seja, de grandes exageros ao fim-de-semana e quase abstinência durante a semana», afirmou o presidente do IDT. João Goulão lembrou que os portugueses bebiam «tradicionalmente num contexto de convivialidade»: «Quando havia uma reunião de amigos, as pessoas iam conversando, discutindo e bebendo». «Agora, nesta nova forma de beber, muitas pessoas embebedam-se mesmo antes de ir ter com os amigos. Bebem rapidamente muitas quantidades com o intuito claro de alterar o seu estado de consciência e depois é que vão para a rua.
É a nova tendência de beber dos jovens», alertou. O binge drinking é responsável por 27 mil mortes acidentais, dez mil suicídios e dois mil homicídios todos os anos na Europa, refere o relatório do IDT. «Este tipo de consumo não é exclusivo dos jovens e cerca de 80 milhões de europeus com idade superior a 15 anos disseram ter praticado binge drinking pelo menos uma vez por semana, em 2006», lê-se ainda no Plano Nacional para a Redução dos Problemas Ligados ao Álcool.
Com base em estudos internacionais, o documento acrescenta que «cerca de 25 milhões de europeus com mais de 15 anos de idade referem que o binge foi o seu padrão habitual de consumo no último mês». «Embora o consumo médio de álcool tenha vindo a decrescer na UE, a proporção de jovens e jovens adultos com padrões de consumo nocivos cresceu na última década em muitos dos Estados-membros», estando os menores de idade entre os que apresentam padrões mais preocupantes, destaca o documento.
O álcool causa anualmente 195 mil mortes na Europa, sendo a faixa etária entre os 15 e os 29 anos a mais afectada. Para reduzir os consumos, o IDT propôs ao Ministério da Saúde alterar a permissão de venda e consumo de álcool dos actuais 16 para os 18 anos e a «promoção da fiscalização sistemática nos locais de consumo e venda».
Diário Digital / Lusa 11-03-09

Obesidade infantil está a aumentar em Portugal

O número de consultas de obesidade pediátrica está a aumentar em Portugal. 61% das crianças que aparecem nas consultas têm menos de 10 anos. “Crianças com excesso de peso aparecem cada vez mais e com menos idade", diz Graciete Bragança, pediatra no Hospital Amadora-Sintra. Sensibilizar os pais para a prevenção e acção é essencial para evitar complicações futuras.“Crianças com excesso de peso aparecem cada vez mais e com menos idade.
A epidemia do séculos XXI alastra-se e, na verdade, é já a partir dos 2 anos que os pais começam a levar os filhos à consulta. No entanto, a média de idade dos consultados nos serviços de pediatria ronda os nove anos”, refere Graciete Bragança, pediatra no Hospital Amadora-Sintra e responsável pelo estudo que analisa a obesidade infantil.
Dados apresentados, no 26.º Encontro Nacional de Clínica Geral, a decorrer em Vilamoura, indicam que 21% das crianças avaliadas têm excesso de peso e 9,5% são obesas. São os alunos do 1º ciclo os que apresentam um maior índice de gordura corporal. O estudo revela ainda que 49% das crianças com excesso de peso ou obesas tem joelho valgo (uma deformidade ortopédica que se caracteriza pelos joelhos curvados para dentro); 25% são insulino-resistentes e 18% tem esteatose hepática (acumulação de gordura no fígado).
Denunciando o risco de persistência da obesidade na idade adulta, o estudo comprova que em crianças na fase pré-escolar a incidência em adulto é de 26% a 41%, sobe na idade escolar para uma prevalência de 42% a 63% e na adolescência tem uma representação de 66% a 78%. Manuela Ambrósio, médica de família no Centro de Saúde do Entroncamento, afirma que, “na sua maioria, os pais não estão atentos para o excesso de peso dos filhos. Em consultas de rotina, é o médico de família quem identifica a situação.
Em muitos casos, os pais menosprezam o problema e raramente respondem positivamente às recomendações feitas pelo seu médico”.“O excesso de peso representa uma menor qualidade de vida para a criança que se cansa com facilidade, tem dificuldade em mexer-se e apresenta uma baixa auto-estima. Sensibilizar os pais para a prevenção e acção, reforçando as complicações futuras deste problema, é essencial”, conclui a médica de família.
21Março2009

Plano quer evitar 700 mortes acidentais de crianças por ano

Acidentes rodoviários, afogamentos e quedas são as principais causas de morte de crianças em Portugal. Para as travar, o Ministério da Saúde vai apresentar em Maio o Plano de Acção para a Segurança Infantil (PASI). Os acidentes provocam em Portugal a morte a 700 crianças por ano.
O plano de acção, no âmbito de um projecto europeu, aguardava o compromisso do Governo desde 2007. Agora, o Alto Comissariado da Saúde garantiu a sua coordenação em Portugal e a sua apresentação para Maio. Uma medida aplaudida pelo presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap), Albino Almeida, que está envolvida em campanhas de prevenção aos acidentes infantis. "Temos uma parceria com a APSI [Associação para a Promoção da Segurança Infantil] para garantir o cumprimento das regras de segurança por parte das crianças", explica o dirigente associativo.
Albino Almeida considera ainda que as "escolas estão mais seguras". Nas escolas os principais perigos são as balizas, as piscinas e o manuseamento de materiais eléctricos ou perigosos. Uma das entidades parceiras do plano de acção é a APSI, cuja secretária-geral Helena Sacadura Botte, adiantou ao DN que o plano vai insistir na "sensibilização dos adultos" e na "alteração dos comportamentos dos adultos que tomam conta de crianças". No topo da lista das ocorrências mais frequentes estão os acidentes rodoviários, seguindo-se os afogamentos e depois as quedas. Mais de 75% dos casos acontecem em casa ou em ambiente doméstico, segundo dados da APSI. "Sabemos que há formas de evitar os acidentes graves. Como a utilização de guarda corpos nas varandas, vedar as piscinas ou utilizar a cadeirinha correctamente nos automóveis", esclarece a responsável da APSI.
Mas a morte de crianças causadas por acidentes não se deve apenas à atitude dos adultos. "Outros casos passam pela melhoria dos equipamentos", reconhece Helena Sacadura Botte. Uma das críticas da secretária-geral é, por isso, para as escolas que têm "recreios áridos e nada interessantes para as crianças". As quedas que acontecem nestes locais devem-se muitas vezes "a rasteiras e brincadeiras estúpidas, porque os miúdos não têm um espaço interessante para brincarem nos intervalos", aponta. "Era bom que as escolas tivessem chão de terra batida ou areia, para que as crianças pudessem sujar-se e brincar", aponta Helena Sacadura Botte. Apesar das críticas a responsável reconhece que os números de vítimas mortais tem vindo a diminuir em Portugal. Mas o relatório europeu defende que o País tem capacidade para aumentar os níveis de segurança.
Mas que necessita de um maior envolvimento do Estado para assegurar o desenvolvimento e a execução de uma estratégia nacional com alvos específicos para a segurança da criança e do adolescente. O PASI deve fazer uma análise e identificar as áreas de acção prioritárias. Uma estratégia que, segundo a Aliança Europeia de Segurança Infantil (ECSA), pode ajudar no sentido da prevenção dos acidentes. Em Novembro de 2007, o relatório da ECSA traçava um cenário mau para Portugal, tal como admitiu, à Lusa, a alta comissária para a Saúde, Maria do Céu Machado. O documento apontava ainda a ausência de uma instituição oficial para assumir a coordenação do plano. O perfil de Portugal foi traçado, na época, assinalando seis áreas de intervenção específicas: acidentes rodoviários (passageiros, peões e condutores), quedas, afogamento, queimaduras, intoxicação e asfixia.
DN e LUSA - 30-03-09

CONFAP propõe Inglês e Música no currículo do 1.º Ciclo

O conselho executivo da CONFAP e as federações concelhias e regionais de associações de pais, em representação de associações de pais de todo o país, na reunião do Conselho Geral da CONFAP, realizado em Lisboa, em 18 de Abril, aprovaram por unanimidade os documentos para serem apresentados aos parceiros da comunidade educativa e ao Governo, na qual se inclui a Agenda Parental 2009-2013, que reúne uma ampla proposta aos partidos políticos concorrentes às próximas eleições legislativas, e da qual se destacam, entre outras, as seguintes propostas:
- A integração das creches no sistema educativo. A defesa da escola maternal como parte do direito universal dos cidadãos, desde a primeira infância à Educação.
- A integração no currículo do 1.º Ciclo do Inglês e da Música; manutenção da Educação Física, nos moldes actuais em que é feita nas AEC's.
- A redefinição dos ciclos de ensino na lógica 0 aos 6 anos, dos 6 aos 12 anos e dos 12 aos 18, garantindo, desde o início deste ciclo, a orientação vocacional com vista a uma frequência qualificada e qualificante e de sucesso deste ciclo.
- A exigência de medidas de segurança nas escolas para a prevenção de sismos e outras catástrofes.
- Uma Acção Social Escolar que cubra as necessidades de todos os alunos, mas especialmente dos que, a cada momento, dela mais precisarem.
Resumo das principais medidas aprovadas na reunião do Conselho Geral da CONFAP, de 18 de Abril de 2009 (*):
- Exigência de implementação dos planos de segurança nas escolas e realização dos respectivos exercícios de simulacros, nomeadamente, de prevenção de sismos, envolvendo todos os parceiros do município previstos na legislação aplicável.
- Apoio de animadores e mediadores nos intervalos dos horários escolares, com o propósito de prevenir e diminuir os fenómenos de violência e bullying, fomentando um convívio saudável entre os alunos, sobretudo em escolas problemáticas.
- Plano de manutenção/reparação para as escolas do 2º e 3º ciclos, em complemento da reformulação da rede do 1º ciclo e do ensino secundário.
- Adaptação dos espaços escolares para alunos com necessidades especiais - efectiva implementação da lei das acessibilidades.
- Revisão das condições de climatização e de conforto das escolas, recorrendo, designadamente, às energias alternativas renováveis.
- Gratuitidade da Componente de Apoio à Família (CAF) e criação das condições para a organização da CAF por parte das AP's, beneficiando dos mesmos apoios que as instituições da rede social e cooperativa.
- Alargamento do horário de funcionamento dos equipamentos escolares do 1.º ciclo, em parceria com os municípios, no sentido de permitir a organização da CAF nas pontas dos horários e interrupções lectivas.
- Colocação, de forma efectiva, de equipas de psicólogos e outros quadros de intervenção social, nos agrupamentos, para lidar com os novos problemas de carácter social dos alunos e suas famílias. Equipas multidisciplinares de intervenção directa no terreno – Gabinete de Apoio ao Aluno e Família.
- Fim dos valores absurdos e dispares nas matrículas nas escolas do ensino secundário;
- Manuais e material escolar básico gratuitos na escolaridade obrigatória.
- As visitas de estudo são realizadas sem critérios de equidade social, fazendo recair o ónus da despesa inteiramente nos pais, sem ter em conta os alunos que beneficiam do SASE e não são contempladas nos orçamentos da escola.
Estes factos apenas ampliam e replicam as desigualdades sociais que a escola deveria eliminar provendo a equidade na educação. Acresce que muitas escolas recusam passar recibo pelas importâncias dispendidas pelos pais relativamente às visitas de estudo, impossibilitando estes de descontarem estas importâncias como despesas de educação. As visitas de estudo, parte integrante do Plano Anual da escola e perseguindo o objecto do Projecto Educativo, devem ter carácter obrigatório e gratuito.
- Diferenciação dos processos de ensino adaptados aos alunos, quer em dificuldades de aprendizagem quer em sobre capacitados, ou seja, mecanismos de diferenciação positiva em detrimento do ensino para o tipo aluno “médio”.
- Apoio educativo regular de professores especializados, como complemento do trabalho do professor, quer em áreas de dificuldades ou problemáticas, quer como estímulo de capacidades acima da média, como forma de se estimular o sucesso educativo.- Reforma dos currículos nacionais do 1º, 2º, 3º ciclos e secundário; reformular os CEF’s.
- Repensar a organização das AEC's, nomeadamente incluir o ensino do Inglês, da Música no currículo e redefinir a educação física. Neste contexto, propõe-se o fim da mono-docência no 1º Ciclo e a introdução da docência coadjuvada.
- Urge o apoio ao associativismo através de medidas efectivas, designadamente, o Estatuto de Utilidade pública deve abranger todas as AP's e não apenas as que organizam serviços; alterar o injusto Regime Fiscal que rege as das AP's (início de actividade e obrigações fiscais, isenção de emolumentos); alterar a Lei do Voluntariado e reconhecer do papel dos dirigentes associativos voluntários junto das suas entidades patronais, no sentido de facilitar a sua intervenção quando necessário, respeitando de parte a parte os mecanismos legais ou outros celebrados.
- Maior envolvimento das AP's nos projectos de educação para a saúde nas escolas, designadamente, estimular a intervenção dos pais no Plano Nacional de Saúde Escolar (praticamente inexistente), nomeadamente nas áreas de promoção de estilos de vida saudáveis, prevenção da violência e bullying, educação para a cidadania, educação para os afectos e sexualidade, desde o início da vida escolar.
- No Estatuto do Aluno é absolutamente necessário o reforço do papel das AP's, assim como, uma definição clara do papel dos pais representantes de turma. Impõe-se melhorar o Estatuto do Aluno no que concerne ao regime de faltas (clarificação), Conselhos Disciplinares e participação das AP's.
- Na gestão escolar, a obrigatoriedade da representação dos pais de todos os níveis de ensino das escolas no Conselho Geral e no Conselho Pedagógico.
- Envolvimento dos alunos, de todos os graus de ensino, na participação democrática da vida dos estabelecimentos de ensino, através de mecanismos adequados e formação para a participação; valorização do papel do delegado dos alunos.
- Subordinação das políticas de educação ao superior interesse das crianças, instituindo o provedor da criança ou o provedor do aluno em articulação com as CPCJ.
- Criar o Observatório para a avaliação e acompanhamentos das políticas educativas, nomeadamente para o acompanhamento da educação especial e apoios sócio-educativos.- Promover as necessárias alterações na Lei de Bases do Sistema Educativo, a efectuar de forma amplamente consensual de forças políticas, económicas, organizações de pais, professores, entre outras.
- Articulação das políticas de saúde com as da educação.
- Oferta educativa de substituição para os alunos incapacitados de praticar educação física, de forma temporária ou permanente. Existem casos de obrigatoriedade de assistir às aulas que são degradantes para estes alunos e dos quais não se vislumbram nenhum interesse pedagógico ou científico.
- Garantir a representação dos pais nos órgãos das escolas do ensino privado com contrato de associação.- Integração da 1ª Infância no sistema educativo.
(*) Propostas do XXXIV Encontro Nacional de Associações de Pais, realizado em Mira, em 14 de Março de 2009, e melhoradas e aprovadas pelo Conselho Geral da CONFAP, órgão que reúne o Conselho Executivo da CONFAP e as Federação concelhias e regionais, em reunião realizada em 18 de Abril de 2009, em Lisboa.
CONFAP – Confederação Nacional das Associações de Pais

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Últimas propostas do ME

Ex.mo(a) Senhor(a)Director de Escola/Agrupamento de Escolas
Em anexo, envia-se um documento com as últimas propostas que o Ministério daEducação apresentou relativas ao Ingresso e Estrutura da Carreira.
Solicita-se a divulgação do mesmo junto dos docentes desseAgrupamento/Escola não agrupada.
Ministério da Educação.
Novas Propostas do Ministério da EducaçãoIngresso e Estrutura da Carreira
O Ministério da Educação (ME) tem vindo, no âmbito do processo negocial que se iniciou em Março, a apresentar um conjunto de propostas às organizações sindicais representativas dos docentes.
Esta fase de negociações centrou-se em matérias relativas à Carreira Docente, nomeadamente, ingresso e desenvolvimento na carreira, acesso à Categoria de Professor Titular e prémios de mérito.
O ME pautou estas propostas por princípios claros de desenvolvimento da Carreira Docente e de melhoria do Serviço Público de Educação prestado pelas escolas e pelos seus profissionais.
Com as propostas apresentadas procura-se também dignificar e qualificar a profissão docente através de:
• Reforço do rigor no acesso à profissão, desenvolvendo os mecanismos que garantam que apenas os candidatos que demonstrem competências e conhecimentos adequados a ela acedam;• Melhoria das condições de progressão nos primeiros escalões da carreira, corrigindo assim a grande assimetria existente entre o início e o topo da carreira;
• Progressão na carreira mais célere aos mais competentes, reconhecendo o mérito demonstrado;
• Possibilidade de progressão aos docentes colocados no topo da carreira, de forma a manter a paridade com a carreira técnica superior da administração pública e a renovar as perspectivas de desenvolvimento, acompanhando a maior permanência dos docentes na profissão;
• Alargamento do universo de professores titulares com o objectivo de melhorar as condições de trabalho nas e das escolas e de romper a percepção de ausência de perspectivas de progressão a docentes que não puderam aceder àquela categoria.
Terminada esta primeira fase de negociação relativa a matérias da carreira docente e dando continuidade ao processo negocial, que queremos reforçar, importa sistematizar as propostas já apresentadas pelo Ministério da Educação.
1. Ingresso na Carreira Docente: Prova de Ingresso
O Realização de uma prova de ingresso para os candidatos ao exercício da função docente que garanta que todos os candidatos a esse exercício cumprem, para além de todos as dúvidas, os respectivos requisitos.
O Prova geral obrigatória, comum a todos os candidatos, com o propósito de verificar a sua capacidade para mobilizar o raciocínio crítico e a capacidade resolver problemas, bem como a sua preparação para resolver problemas em domínios não disciplinares.
O A prova comporta itens de resposta múltipla (com apenas uma resposta correcta) e com a possibilidade de a classificação se efectuar por meio de uma chave de correcção automática.
O A elaboração da prova será da responsabilidade do Gabinete de Avaliação Educacional (GAVE) que poderá para o efeito estabelecer formas de colaboração com entidades com reconhecimento internacional no domínio da avaliação.
O A classificação das provas expressar-se-á pelas menções de Aprovado e Não Aprovado e a não aprovação não invalida a possibilidade de candidatura à sua realização em anos subsequentes.
A Submissão à prova constitui um requisito indispensável para aceder ao exercício profissional da função docente excepto aquando do primeiro ano de aplicação, para docentes que contem pelo menos quatro anos de serviço, com classificação mínima de Bom na avaliação de desempenho, dois dos quais nos últimos quatro anos.
2. Desenvolvimento da Carreira
2.1. Categoria de Professor
O Diminuição do tempo de permanência nos 1.º, 2.º e 3.º escalões de cinco para quatro anos;
O Diminuição do tempo de permanência no 5.º escalão de quatro para dois anos;
O Progressão ao 6.º Escalão (índice 245) da categoria de professor dos docentes que tenham realizado a prova pública de acesso à categoria de professor titular e nela tenham sido aprovados;
O Criação do 7.º escalão (índice 272) a que poderão aceder os docentes que, completados seis anos no 6.º escalão, aprovados na prova pública de acesso à categoria de titular e tenham sido opositores ao respectivo concurso e não tenham obtido provimento por ausência de vaga;
O Bonificação da progressão em 1 ano para os Professores que obtenham, em sede de Avaliação de Desempenho, dois resultados consecutivos de Muito Bom e/ou Excelente.
2.2. Categoria de Professor Titular
O Bonificação da progressão em 1 ano para os Professores Titulares que obtenham dois resultados consecutivos de Muito Bom e/ou Excelente.
O Criação do 4.º escalão (índice 370) ao qual terá acesso quem completar seis anos de permanência no 3.º escalão (sendo a contagem do tempo já prestado objecto de regras transitórias);
O A título transitório, quem à data da publicação do diploma se encontrar no 3.º escalão, há pelo menos cinco anos, poderá aceder ao 4.º escalão mediante a obtenção de duas menções qualitativas de mérito (Muito Bom e/ou Excelente).
O O Ministério da Educação definirá e proporcionará um programa de formação específica obrigatória nas áreas de coordenação, supervisão e avaliação destinado a todos os professores titulares.
3. Acesso à categoria de professor titularAlargamento da possibilidade de acesso à categoria de Professor Titular mediante:
O Antecipação para 16 anos de serviço docente efectivo o requisito para se ser oponente ao concurso para professor titular desde que reunidas todas as restantes condições previstas no n.º 2 do artigo 38.º do ECD;
O Antecipação da possibilidade de realização da prova de acesso a Professor titular para os 14 anos de serviço docente, nos termos previstos no n.º 3 do artigo 38.º do ECD;
O A diminuição do tempo de serviço exigível para efeitos de acesso à categoria de titular entrará em vigor progressivamente, diminuindo para 17 e 16 anos respectivamente nos anos de 2010 e 2011.
O Abertura de novo concurso extraordinário interno a abrir, ainda este ano civil, ao nível dos agrupamentos de escolas ou escolas não agrupadas, excepcionalmente, sem prestação de prova pública, a que terão acesso os docentes posicionados no actual 4.º escalão da categoria de professor e seguintes e de acordo com o número de vagas a definir para cada escola.
O Para este concurso serão tidos em consideração um conjunto de critérios e requisitos a definir, considerando a totalidade da carreira dos docentes e estando o ME aberto a analisar propostas que nesta matéria as Organizações Sindicais queiram apresentar.
4. Prémios de Mérito
Atribuição de prémios de desempenho, respeitando os seguintes princípios:O Classificação de Excelente em dois períodos consecutivos de avaliação – prémio de valor igual a 2 vencimentos.
O Classificação de Excelente ou Muito Bom em dois períodos consecutivos de avaliação – prémio de valor igual a 1,5 vencimentos.
O Classificação de Excelente ou Muito Bom em três períodos interpolados de avaliação – prémio de valor igual a 1 vencimento.
5. Perspectivas de negociação
O Ministério da Educação admitiu ainda ir mais longe no cenário de um entendimento global com as associações sindicais que pudesse pôr fim ao conflito laboral que se vem arrastando, designadamente prescindindo da fixação de um número limitado de vagas para a categoria professor titular, desde que se garantisse a selectividade da prova de acesso.ANEXO – Estrutura da Carreira Docente.
Nova Proposta Professor
Professor Titular
Tempo para progressão(anos)
Tempo para progressão(anos)
EscalãoÍndice DL 15/2007
Nova Proposta
EscalãoÍndice DL 15/2007
Nova Proposta
1(a)167542(a)188543
(a)205544218445235426
(b)245–61(d)245667
(c)272––2299663
(e)340–64
(f)370––Notas
(a) Redução de um ano no tempo de permanência necessário à progressão nos escalões 1, 2 e 3.
(b) O acesso ao escalão 6 fica condicionado à aprovação na prova para professor titular
(c) Novo escalão. O acesso ao escalão 7 fica condicionado à aprovação na prova para professor titular e à apresentação ao respectivo concurso, sem obtenção de provimento por ausência de vaga
(d) A apresentação ao concurso para professor titular poderá fazer-se a partir dos 16 anos de serviço. Os docentes podem submeter-se à prova pública a partir dos 14 anos de serviço.
(e) Definição do tempo de permanência no escalão 3 necessário à progressão ao escalão 4 (6 anos)
(f) Novo escalão.

Seminário Nacional "Novas Oportunidades: Uma estratégia de qualificação de jovens e adultos"

Ex.mos(as) Senhores(as)
Junto se envia versão actualizada do programa do Seminário Nacional que irá ter lugar no próximo dia 24 de Abril, sexta-feira, no Centro de Congressos Castelo Santiago da Barra em Viana do Castelo (Castelo Santiago da Barra - 4900-360 Viana do Castelo).
Relembramos que as inscrições estão abertas até ao dia 22 de Abril através da Ficha de incrição em anexo para geral@anespo.pt ou Fax: 21 797 08 24. Certos da melhor atenção, apresentamos os melhores cumprimentos.

Agenda Parental para a Educação proposta pela CONFAP

O conselho executivo da CONFAP e as federações concelhias e regionais de associações de pais, em representação de associações de pais de todo o país, na reunião do Conselho Geral da CONFAP, realizado em Lisboa, em 18 de Abril de 2009, aprovaram por unanimidade os documentos da ordem de trabalhos para serem apresentados aos parceiros da comunidade educativa e ao Governo, na qual se inclui a Agenda Parental 2009_2013, que reúne uma ampla proposta aos partidos políticos concorrentes às próximas eleições legislativas, e da qual se destacam, entre outras, as seguintes propostas:
- A integração das creches no sistema educativo. A defesa da escola maternal como parte do direito universal dos cidadãos, desde a primeira infância à Educação.
- A integração no currículo do 1.º Ciclo do Inglês e da Música; manutenção da Educação Física ministrada nos moldes em que é feita nas AEC´s.
- A redefinição dos ciclos de ensino na lógica 0 aos 6 anos, dos 6 aos 12 anos e dos 12 aos 18, garantindo, desde o início deste ciclo, a orientação vocacional com vista a uma frequência qualificada e qualificante e de sucesso deste ciclo.
- A exigência de medidas de segurança nas escolas para a prevenção de sismos e outras catástrofes.
- Uma Acção Social Escolar que cubra as necessidades de todos os alunos, mas especialmente dos que, a cada momento, dela mais precisarem.Disponibilizamos, em anexo, resumo da Agenda Parental 2009_2013 (o texto final está em elaboração, contemplando todas as propostas que os membros do Conselho Geral apresentaram na reunião, sendo o documento na íntegra divulgado muito em breve).
O CE da CONFAP
António Amaral (vice-presidente do CE da CONFAP)

Colóquio - Adolescência, aquela fase...

Como já foi divulgado, as três escolas vão organizar o colóquio: “Adolescência, aquela fase…”, que terá lugar no próximo dia 29 de Abril, pelas 21h, no Auditório Municipal (GATAT).
O painel será constituído por:
· Emília Marques (Psicóloga SPO, Escola Secundária Dr. Júlio Martins);
· Helena Jorge (Psicóloga SPO, Agrupamento Vertical da Escola EB 2/3 Nadir Afonso;
· João Baptista (Psicólogo SPO, Escola Secundária Dr. António Granjo);
· Vera Sousa (Médica do Centro de Saúde nº 1 de Chaves).

Recolha de sangue

Também em parceria com as escolas acima referidas e em conjunto com o Instituto Português do Sangue vai decorrer uma campanha de recolha de sangue, a realizar nas instalações do Agrupamento Vertical da Escola EB2/3 Nadir Afonso, no dia 29 de Abril de 2009 (quarta-feira), das 9h às 16h.
Dada a importância do evento, que se reveste de um carácter de forte solidariedade e humanidade, gostaríamos de contar com a V.ª presença.

Acção de Sensiblização

Em parceria, a Escola Secundária Dr. António Granjo com a Escola Secundária Dr. Júlio Martins e com o Agrupamento Vertical Nadir Afonso, vai decorrer uma Acção de Sensibilização subordinada ao tema: ”Prevenção do Consumo de Substâncias Psicoactivas”, no próximo dia 23 de Abril de 2009 (quinta-feira), pelas 21h, no Auditório do Agrupamento Vertical da Escola EB2/3 Nadir Afonso.
Esta acção será dinamizada pelo Senhor Enfermeiro Leonel Júlio Alves, do Centro de Respostas Integradas de Vila Real – Equipa Técnica de Chaves.

Agenda Parental para a Educação proposta pela CONFAP

O conselho executivo da CONFAP e as federações concelhias e regionais de associações de pais, em representação de associações de pais de todo o país, na reunião do Conselho Geral da CONFAP, realizado em Lisboa, em 18 de Abril de 2009, aprovaram por unanimidade os documentos da ordem de trabalhos para serem apresentados aos parceiros da comunidade educativa e ao Governo, na qual se inclui a Agenda Parental 2009_2013, que reúne uma ampla proposta aos partidos políticos concorrentes às próximas eleições legislativas, e da qual se destacam, entre outras, as seguintes propostas:
- A integração das creches no sistema educativo.
A defesa da escola maternal como parte do direito universal dos cidadãos, desde a primeira infância à Educação.
- A integração no currículo do 1.º Ciclo do Inglês e da Música; manutenção da Educação Física ministrada nos moldes em que é feita nas AEC´s.
- A redefinição dos ciclos de ensino na lógica 0 aos 6 anos, dos 6 aos 12 anos e dos 12 aos 18, garantindo, desde o início deste ciclo, a orientação vocacional com vista a uma frequência qualificada e qualificante e de sucesso deste ciclo.
- A exigência de medidas de segurança nas escolas para a prevenção de sismos e outras catástrofes.
- Uma Acção Social Escolar que cubra as necessidades de todos os alunos, mas especialmente dos que, a cada momento, dela mais precisarem.
Envia-se, em anexo, resumo da Agenda Parental 2009_2013 (o texto final está em elaboração, contemplando todas as propostas que os membros do Conselho Geral apresentaram na reunião, sendo o documento na íntegra divulgado muito em breve). O CE da CONFAP
António Amaral(vice-presidente do CE da CONFAP
Anexo: Agenda parental_2009_resumo.pf

HST, Ambiente, HACCP e Saude Ambiental - Seminario


Concurso fotográfico “Em busca da Matemática"

Os professores do Plano de Acção para a Matemática lançam o Concurso “Em busca da Matemática” destinado a alunos, pais e/ou encarregados de educação do Agrupamento Vertical Dr. Francisco Gonçalves Carneiro.
Aproveita-se para divulgar o blog http://coisasdamatemativa.blogspot.com, onde se pode consultar o Regulamento do concurso.A matemática está para além da sala de aula…
Revela-se nos “objectos” mais simples e quotidianos. Por vezes basta um pequeno pormenor para captar uma imagem que descreva um conceito ou uma ideia matemática.
Pretende-se que seja feito o registo fotográfico digital dessas “descobertas”, que deve ser enviado para mat.blogue@gmail.com
Cada fotografia deverá conter um título e o nome do local fotografado.
Serão premiadas as “descobertas” mais interessantes…
Contamos com o apoio dos professores na divulgação desta iniciativa junto dos encarregados de educação.
O Coordenador de Matemática e Ciências Experimentais
HermínioC

sexta-feira, 17 de abril de 2009

ACÇÃO SOCIAL ESCOLAR

Foi publicado em Diário da República o Despacho que aprova novas medidas de apoio social e altera o despacho n.º 20.956/2008, de 24 de Julho, que regula as condições de aplicação das medidas de acção social escolar da responsabilidade do Ministério da Educação a partir do ano lectivo de 2008-2009.
Considerando o tempo de crise económica e financeira internacional e verificando que, pelos seus efeitos no nosso país, muitas famílias enfrentam dificuldades, em particular o drama do desemprego, entendeu o Governo reforçar com novas medidas o apoio social que lhes é destinado, ajudando -as nas despesas com a educação dos filhos, fortalecendo a intervenção do Estado social e cumprindo o desígnio constitucional e legal de assegurar condições de igualdade no acesso e êxito escolar.
Estas medidas, que na prática já estavam a ser adoptadas pelas escolas por orientações nesse sentido, passam agora a forma de lei.
Despacho n.º 10150/2009. D.R. n.º 74, Série II de 2009-04-16, do Ministério da Educação ― Gabinete do Secretário de Estado Adjunto e da Educação
Aprova novas medidas de apoio social e altera o despacho n.º 20 956/2008, de 24 de Julho, que regula as condições de aplicação das medidas de acção social escolar da responsabilidade do Ministério da Educação a partir do ano lectivo de 2008-2009.


FCAPE - Seminário

SEMINÁRIO MUDANÇAS NA EDUCAÇÃO CONSTRANGIMENTOS E OPORTUNIDADES

A Federação Concelhia das Associações de Pais de Espinho (FCAPE) irá realizar um Seminário subordinado ao tema “Mudanças na Educação – constrangimentos e oportunidades”.
Organizado no âmbito do seu Plano de Actividades, este evento será precedido de um Porto de Honra e terá lugar no dia 24 de Abril (sexta-feira), às 21.00 horas, no Auditório da Junta de Freguesia de Espinho.
Neste evento contaremos ainda com a presença da Dr. Margarida Moreira - Directora da Direcção Regional de Educação do Norte, do Dir. Dep. Prof. João Moutinho - Câmara Municipal de Espinho, do Magnifico Reitor Prof. Dr. Salvato Trigo - Universidade Fernando Pessoa, do Dr. Albino Almeida - Presidente da CONFAP, das Presidentes dos Conselhos Executivos das Escolas do Concelho de Espinho, representantes dos Partidos Politicos, entre outros Convidados.
Como consideramos que a participação e contributos de todos os Pais e EE serão uma mais-valia para o enriquecimento de todos os participantes, vimos por este meio convidá-los a estarem presente neste Seminário.Auditório da Junta de Freguesia de Espinho.
24 de Abril de 2009 - 21horas
Convidados
Directora da Direcção Regional de Educação do Norte Dir. Dep. da Câmara Municipal de Espinho Reitor da Universidade Fernando Pessoa
Presidente da CONFAP, entre outros Convidados (a confirmar)
Programa Porto de Honra Intervenção dos Oradores e Convidados Debate
»» Cartaz ««

DOCUMENTOS DA APEE - AFGC

LIVROS NEE

Associação de Pais e Encarregados de Educação

RECOMENDAÇÕES DA GRIPE A

Video